Associação das Prostitutas realiza ação social em Teresina

A ação contou com diversos serviços voltado para as mulheres

A Associação das Prostitutas do Piauí (Aprospi) e o Coletivo Mulheres Articuladas realizaram, nesta sexta-feira (11), em parceira com o Ministério Público do Estado do Piauí e demais entidades e órgãos públicos, uma ação social voltada para as mulheres, na praça principal do Residencial Esplanada.

Com o tema “Mexeu com uma, mexeu com todas”, a ação contou com diversos serviços como orientações jurídicas, serviços de beleza, expedição de documentos, cadastro em programas sociais, dentre outros.

 Associação das Prostitutas do Piauí  (Crédito: Assessoria)
Associação das Prostitutas do Piauí (Crédito: Assessoria)


A presidente da Aprospi, Célia Silva Gomes, afirma que o evento já está em sua segunda edição. “Realizamos este evento para levar informação às mulheres da periferia que possuem os seus direitos negados por falta de informação”, explica.

De acordo com o promotor de Justiça Francisco de Jesus, integrante do Núcleo das Promotorias de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica Familiar de Teresina (NUPEVID), o Ministério Público vai promover ações voltadas para as mulheres prostitutas através do projeto ‘Mulheres: Vida Difícil’, que está sendo desenvolvido.

“Muitas mulheres prostitutas não denunciam os abusos cometidos porque acham que não serão amparadas pela lei. Nosso objetivo é resgatar a cidadania dessas mulheres”, frisa. O objetivo do projeto é conscientizar as mulheres profissionais do sexo para coibir as práticas de violência de gênero, através da divulgação da Lei Maria da Penha.


 Associação das Prostitutas do Piauí  (Crédito: Assessoria)
Associação das Prostitutas do Piauí (Crédito: Assessoria)
 Associação das Prostitutas do Piauí  (Crédito: Assessoria)
Associação das Prostitutas do Piauí (Crédito: Assessoria)
Fonte: Assessoria