Associações de tratamento ao câncer precisam de mais voluntários em Teresina

Hoje se celebra o Dia Mundial de Combate ao Câncer e a data traz a reflexão a respeito da importância de investir

O Dia Mundial de Combate ao Câncer, celebrado na quarta-feira (8), é um marco de reflexão para pacientes com a doença e para toda a sociedade. Trata-se de oportunidade de conscientização a respeito da importância de investir em pesquisa e tratamento da doença, ainda sem cura.

O planeta aguarda a descoberta da cura e de tratamentos menos invasivos para pacientes portadores de diferentes tipos de tumor. Em Teresina, as associações que prestam atendimento e acompanhamento para pacientes da doença carecem cada vez mais de voluntários para ajudar as pessoas a superarem esta barreira.

É o caso da Associação de Apoio aos Pacientes com Câncer no Piauí - Esperança e Vida. O centro foi criado em 2008 com o objetivo de dar voz às pessoas que sofrem de câncer no momento de tratamento da doença, no intuito de fazê-los conhecer seus direitos, informá-los adequadamente sobre o câncer, sobre sua cura e a importância de um diagnóstico precoce e do tratamento adequado.

Desenvolvendo um trabalho pós-hospitalar, o local presta suporte que não é oferecido pelos hospitais, ajudando na alimentação de pacientes, distribuindo cestas básicas, entregando suplementos alimentares, fraldas, medicamentos e o que mais as famílias carentes precisarem.

“Temos uma série de voluntários na associação, como nutricionistas, pedagogos, fisioterapeutas e até advogados.

Essas pessoas desenvolvem um papel fundamental na recuperação do paciente, ajudando a colocar mais cores e mais sentido na vida das pessoas que foram devastadas pela doença.

Entendemos que quanto mais os pacientes participam de atividades sociais, mais eles podem reagir positivamente ao tratamento e, quem sabe, alcançar a cura”, destaca a assistente social Rayane de Moura Santos.

Entretanto, o número de pessoas dispostas a contribuir com a causa ainda é pequeno e pode crescer. Rayane destaca que, quando o paciente descobre que está com a doença e precisa de acompanhamento médico, fica muito debilitado emocionalmente e pode não encontrar motivos para seguir com positividade durante o tratamento.

“Por isto toda ajuda é necessária. Nem todo mundo dispõe de tempo para se dedicar à causa, mas esta é uma boa ação que literalmente pode ajudar a salvar vidas”, conta a assistente social da Associação Esperança e Vida.

A associação conta apenas com a colaboração da sociedade. Alguns amigos parceiros, doadores e voluntários ajudam na manutenção dos trabalhos, sensibilizados pelo trabalho realizado, e ainda pelo reconhecimento do impacto que o mesmo tem na vida de cada usuário e familiar e, por consequência na sociedade teresinense. É também a partir dos contatos realizados pela sociedade teresinense.

 

 

Fonte: OLEGÁRIO BORGES