Atendimento aos pacientes com câncer do Maranhão está garantido em Teresina

Atendimento aos pacientes com câncer do Maranhão está garantido em Teresina

Os pacientes com câncer, do Maranhão, que faziam tratamento em Teresina, tiveram atendimento cancelado por débito

Após manifestação realizada na quinta-feira, 09, por pacientes com câncer advindos do Estado do Maranhão, a Defensoria Pública da União (DPU) vai garantir atendimento às pessoas vítimas dessa grave doença, em Teresina.

No protesto havia cerca de 30 pessoas, entre elas algumas com câncer e bastante debilitadas e que foram recebidas pela DPU, que está preparando documentação para ingressar com ações individualizadas para garantir o atendimento adequado.

Dirce Maria, que mora em Caxias e já teve câncer, hoje faz parte do grupo ?Amigos na Luta contra o Câncer? (AMLUCC) e afirma que todos que estavam presentes foram muito bem recebidos na Defensoria e foram prontamente atendidos.

Antes disso, todos estavam muito abalados e só se tranquilizaram depois das garantias dadas pelos defensores. ?Todos chegaram lá (DPU) psicologicamente arrasados, mas depois ficaram alegres porque foram bem recebidos?, afirma.

Ela avalia que a Prefeitura de Teresina tem razão de cobrar, e que o governo do Maranhão deve pagar. Porém, ela ressalta que apesar disso, ninguém pode ficar sem atendimento médico, principalmente pessoas com câncer.

?Teresina está até com a razão, mas o importante é que a gente tenha a saúde do pessoal. Não interessa quem pagou ou deixou de pagar?, esclarece.

O defensor público Bruno Cervelli recebeu parte dessas pessoas que estão aflitas com o risco de não serem atendidas. Ele garante que ações individualizadas serão propostas na Justiça Federal para assegurar este direito.

Segundo ele, esse problema é antigo e nos outros casos a DPU obteve sucesso com agilidade razoável.

Essa negativa, de acordo com Bruno, já existe há algum tempo e a Defensoria já tem algumas ações em curso. O Judiciário vem concedendo liminares favoráveis aos pacientes, entendendo que essa negativa é injustificável e não tem respaldo legal.

O defensor esclarece que não existe impossibilidade imaterial que impeça o atendimento. O que existe é um impasse financeiro. ?As pessoas não podem morrer por conta de um impasse financeiro?, explica.

Com relação ao andamento dos processos, ele explica que está sendo recolhida a devida documentação para dar entrada na Justiça. ?Ontem a gente iniciou o atendimento porque precisa juntar documentação de cada paciente.

Para a semana que vem a gente espera esperar mais de dez ações dependendo de quão rápido essa pessoas vão providenciar a documentação?, declara Cervelli.

Fonte: Vicente de Paula