Atividade física sem orientação  pode  oferecer grande risco a saúde

Atividade física sem orientação pode oferecer grande risco a saúde

As academias ao ar livre conquistaram espaço grande no cotidiano de muitas pessoas pelos bairros de Teresina

Ficar em forma é o desejo de muitos, e com a ascensão das academias populares nos bairros da capital, o sonho ficou ainda mais fácil de ser alcançado. O problema é quando a atividade física não é acompanhada por um profissional treinado. Se malhar nessas academias parece ser benefício, na verdade pode se tornar um risco à saúde.

Exercícios praticados sem orientação nem sempre resultam no esperado.

?Muitas vezes, ao fazer exercícios sem orientação do profissional, a pessoa pode forçar o corpo além do limite, podendo resultar em lesões musculares. Trajar roupas leves e arejadas é essencial, além de se alimentar da forma correta. Muitos acham que é só chegar e começar a levantar peso. Não pode ser assim, antes de praticar qualquer exercício é preciso fazer alongamento?, fala o personal trainer Diego Feitosa.

Além do mau jeito, fazer exercício com acompanhamento auxilia a pessoa a conquistar o seu objetivo, já que existem exercícios específicos para perda de peso, tonificação e ganho de massa muscular. ?Além de regular os limites do corpo. Uma atividade física bem feta deixa a pessoa mais disposta?, acrescenta Diego.

O personal vai mais longe e aponta os sintomas de um treino realizado sem supervisão: insônia, perda de resistência, cansaço, agressividade, aumento da pressão arterial, dores musculares, ansiedade, problemas na articulação e alteração dos batimentos cardíacos são alguns dos problemas do chamado overtraining (prática de exercício sem orientação).

As academias populares possuem placas informando o uso correto e a quantidade de exercícios que devem ser feitos em cada aparelho, mas a população - especialmente os mais velhos - deve ficar de olho. É importante tomar cuidado redobrado, pois sem a devida ajuda, o idoso pode sofrer uma lesão grave. Se ele não estiver acompanhado no momento, pode sofrer ainda mais para conseguir ajuda.

Academias populares não têm instrutores

Por não disporem de educadores físicos, as famosas academias populares podem representar um risco para a saúde de quem as usa. A prática de atividade física é considerada um ato de promoção à saúde, mas pode funcionar de forma contrária caso não seja feita de acordo recomendações advindas de um profissional apto para desenvolver a função.

Aa academias ao ar livre estimulam o bem estar e a saúde das pessoas de todas as idades, especialmente os maiores de sessenta anos. Tais atividades tem o intento de fortalecer, dar agilidade, alongar e promover a flexibilidade dos músculos do corpo humano. A principal vantagem das academias instaladas nas praças é que os aparelhos usam o peso e a força do usuário para movimenta-los, garantindo saúde sem exigir tanto esforço. Outro benefício é que acabam se tornando ponto de encontro para a comunidade, colaborando também para a melhoria da qualidade de vida.

A primeira academia ao ar livre chegou a Teresina em 2008, fazendo bastante sucesso entre a população. Hoje já são 30 unidades espalhadas em alguns bairros de Teresina, contando com participação maciça da comunidade.

Segundo a Lei Municipal nº 4145/2011, essas academias tem a obrigação de disponibilizar um educador físico nos dois turnos de funcionamento, mas atualmente a lei é descumprida. Na tentativa de suprir a necessidade, a prefeitura realizou um concurso público para cadastro de reserva de educadores físicos, mas até hoje nenhum dos aprovados foi convocado.

Fonte: Francisco Lima e Olegário Borges