Atividades e boa alimentação são pré-requisitos para uma vida saudável

vida saudável

Perder peso, para muitas pessoas, nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente se tratando de reduzir medidas de maneira saudável, pois requer disponibilidade, força de vontade e determinação para enfrentar uma rotina de atividades físicas e certas limitações alimentares.

Devido à rotina estressante e recheada de atividades, muitos brasileiros deixam a saúde para o terceiro plano. Fato que é refletido em dados da pesquisa divulgada, em 2014, pelo Ministério da Saúde, através da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), que aponta que 50,8% da população estão acima do peso ideal, e que este número, 17,5% são obesos.

A pesquisa da Vigitel destaca ainda que, do total que estão acima do peso ideal, 54,7% são homens, e 47,4% são mulheres. Neste percentual, encontra-se o jovem teresinense de 28 anos, Airton Silva, operador de call center que já chegou a pesar 160 kg. Ele revela que a maior dificuldade é perceber o problema de excesso de peso e destaca que andar de ônibus era o seu maior pesadelo.

“A gente não percebe o quanto se está gordo. Mesmo todos falando isso para você, é difícil aceitar. Eu achava que o mundo estava errado e só eu certo. Mas fui percebendo as dificuldades no dia a dia, ao amarrar o tênis, comprar roupas e até ao entrar no ônibus, que este era o meu terror pessoal. Era como se matasse um leão por dia”, desabafa o operador de call center, que é formado em Geografia.

Com 40kg a menos, a mudança no físico e na saúde de Airton Silva teve início no dia 13 de agosto de 2013 quando, incentivado pela mãe, Maria Odete Silva, passou a fazer caminhada no Parque Lagoas do Norte e, logo em seguida, passou a receber apoio de amigos, que o acompanhavam na atividade. Além disso, fez uma reeducação alimentar, excluindo de seu cardápio, principalmente, o refrigerante.

“Fui morrendo de vergonha, com medo das pessoas rirem de mim e ainda porque muita gente dizia que eu não iria conseguir. Fui de carro meio escondido. Minha mãe me acompanhou na primeira semana, depois recebi apoio de amigos que me acompanharam na caminhada. E logo no primeiro mês, perdi 11kg. Além da caminhada, reduzi a comida e cortei muitas bobagens do cardápio, inclusive o refrigerante. A mudança foi imediata”, confessa Airton, que chegava a ingerir até dois litros de refrigerante ao longo do dia.

 

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele