Ato de vandalismo prejudica iluminação e danifica linha do metrô na z.Sul de THE

Ato de vandalismo prejudica iluminação e danifica linha do metrô na z.Sul de THE

O número de casos de depredação na linha férrea do metrô de Teresina cresceu consideravelmente. Só neste ano, no trecho entre o Cemitério São José

Desde agosto do ano passado o número de casos de vandalismos na linha de metrô de Teresina aumentou, principalmente entre o trecho entre o Cemitério São José e a Rua Rio Grande do Sul, no bairro Ilhotas.

De acordo com Antônio Sobral, diretor técnico da CMTP, esses atos prejudicam a estrutura do local e a iluminação.

Já que é comum ações de vândalos como a quebra de lâmpadas do local, e mesmo quando repostas, as lâmpadas voltam a ser danificadas. Isso é um risco para quem circula no local. Por dia, em torno de 8.000 pessoas passam pela linha de metrô. E neste ano, já houve 3 assaltos no local.

Como medida de combate ao vandalismo, a CMTP busca parceria com a Polícia Militar para que a segurança nos horários noturnos de funcionamento seja reforçada.

Ainda, a estação de metrô Matinha já possui um sistema de portões de ferro, para que vândalos não tenham acesso ao local quando este não estiver em horário de funcionamento.

Outro problema da região é quanto a quantidade de lixo. A manutenção de limpeza é realizada semanalmente, geralmente aos sábados, por ser o dia com menor fluxo de movimentos de trens.

?Há grande quantidade de lixo, e na segunda quinzena de maio será realizado um mutirão de limpeza para retirar o excesso de resíduos na região?, afirma Sobral.

A quantidade de lixo prejudica também a drenagem da linha de trem, já que com o período de chuvas gera grande quantidade de água acumulada devido a quantidade de lixo na região.

Fonte: Nadja Uchôa