Atualização cadastral do Bolsa Família é adiada para 31 de dezembro

Os beneficiários que estiverem com mais de dois anos sem atualizar dados terão benefícios cancelados.

O prazo limite para a atualização cadastral dos beneficiários do programa de transferência de renda federal, Bolsa Família foi prorrogado até o dia 31 de dezembro, pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

A ampliação do prazo é resultante de mudanças no sistema do Cadastro Único (CadÚnico). Durante o processo de migração dos dados para a atualização do sistema, o trabalho de atendimento aos beneficiários ficou suspenso, o que acabou atrasando a atualização que deveria ocorrer até 31 de outubro, por conta disso o prazo foi ampliado.

A partir de janeiro de 2012, os beneficiários que estiverem com mais de dois anos sem atualizar os dados, terão os benefícios cancelados, e a partir de março, se os cadastros não forem atualizados, o MDS irá cancelar os benefícios.

Entre janeiro e setembro de 2011, os gestores municipais atualizaram o cadastro de 638.302 famílias, que representam 48% das 1,3 milhão que precisavam renovar seus dados neste ano. Restam 692.646, ou seja, 52% devem passar pelo mesmo processo para evitar que seus benefícios sejam bloqueados ou cancelados.

No Piauí, das 438.263 famílias cadastradas, 89.059 têm que efetuar o cadastro este ano. Desse total, 41.414 famílias tinham como prazo para recadastramento o mês de janeiro de 2011, 24.467 famílias deveriam ter atualizado os dados até agosto de 2011 e 23.178 que deveriam regularizar a sua situação até 31 de outubro, ganharam mais dois meses de prazo.

De acordo com as estimativas do MDS, 55,97% das famílias beneficiadas no Piauí ainda precisam atualizar os seus dados cadastrais. A atualização cadastral a cada dois anos é determinada pelo decreto nº 6.135, de 2007.

Mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência escolar e composição familiar são informações fundamentais para a boa gestão do programa de transferência de renda.

É necessário que esses dados retratem a realidade dos beneficiários para garantir que o Bolsa Família chegue à parcela da população com renda per capita de até R$ 140.

Fonte: Juarez Oliveira