Autor de disparos em cinema é absolvido por agressão em cela

Sentença considerou distúrbios mentais no ex-estudante de medicina


Autor de disparos contra plateia em cinema é absolvido na BA
O ex-estudante de medicina Matheus da Costa Meira, condenado por disparos contra a plateia de um cinema em São Paulo no ano de 1999, que resultaram em três mortes, foi submetido a novo julgamento, desta vez, por uma tentativa de homicídio contra um colega de cela na Penitenciária Lemos Brito, caso ocorrido em 2009, em Salvador. O novo júri ocorreu na manhã desta terça-feira (11), e absolveu o réu no Fórum Ruy Barbosa, na capital baiana.

A sentença aponta que Matheus é inimputável porque é portador de distúrbios mentais e não é capaz de compreender o ato criminal dentro da cela, segundo informações da 1ª Vara do Tribunal do Júri. Com o resultado, o suspeito foi absolvido de responder a pena pela tentativa de homicídio e será encaminhado para o Hospital de Custódia e Tratamento, do Poder Judiciário.

A sessão foi presidida pelo titular da 1° Vara, o magistrado Moacyr Pitta Lima Filho, e debatido pela promotora de Justiça Armênia Cristina Santos e por Vivaldo Amaral, advogado do réu. O resultado da sentença foi relatado por volta das 10h20, após julgamento de culpabilidade por parte dos sete integrantes do Conselho de Sentença, formado por cidadãos voluntários. É necessário quatro votos para decretar maioria, que foi concedido pelos integrantes.

De acordo com o Ministério Público, existe um laudo médico que atesta que Meira sofre de distúrbios psicológicos, o que influencia no resultado do julgamento, mas não deve ter servido de base para a sentença judicial no caso do crime no cinema de São Paulo. Meira é baiano e está em Salvador desde 27 de setembro de 2009, quando foi transferido do Presídio de Tremembé, em São Paulo, para a Penitenciária Lemos Brito, em Salvador, a pedido da família.

Agressão

A tentativa de homicídio contra um companheiro de cela ocorreu na Penitenciária Lemos Brito, no dia 8 de maio de 2009. O espanhol de 68 anos foi socorrido e não sofreu ferimentos graves. A Secretaria de Cidadania, Justiça e Direitos Humanos da Bahia relatou, na época, que Matheus usou tesoura artesanal para golpear a cabeça do espanhol, por conta de uma agressão anterior sofrida pelo ex-estudante de medicina. Após agressão ao colega, Meira teria ficado isolado em uma cela.

Tiros no cinema

Três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas no dia 3 de novembro de 1999, quando Matheus da Costa Meira entrou armado com uma submetralhadora no cinema do Shopping Morumbi, em São Paulo. A ação de origem criminosa aconteceu durante a sessão do filme O Clube da Luta. O ex-estudante de medicina foi condenado em 2004 a 120 anos de prisão, mas a pena foi reduzia a 45 anos, segundo a Secretaria de Justiça da Bahia.

Fonte: G1