"Avião quebrou na minha frente", diz passageira de voo que saiu de Miami

Os passageiros ficaram visivelmente abalados com o incidente e alguns sofreram fraturas ou cortes, disse Henry

Os passageiros do voo AA 331, procedente de Miami, descreveram os momentos de pânico por que passaram quando a aeronave derrapou e saiu da pista no momento do pouso, no aeroporto internacional Norman Mayler em Kingston, capital da Jamaica, na terça-feira à noite.

"O avião bateu e quebrou quase na minha frente", disse ao jornal Jamaica Observer, a passageira Naomi Palmer, que ocupava o assento D8.

Ela disse que estava sentindo um pouco de dor no corpo e se apoiava em uma amiga na área de chegada do aeroporto.

De acordo com as autoridades, pelo menos 44 pessoas ficaram feridas, mas não há notícia de mortos. Chovia forte na hora do pouso.

Outra passageira, Verona Hall, disse ao jornal: "O avião pousou e as pessoas começaram a aplaudir. Vimos as luzes de Kingston. De repente, não vimos mais as luzes. Olhei pela janela e vi linhas brancas, então, percebi que estava na pista, mas era na verdade um chão áspero. O avião se quebrou e começamos a sentir o cheiro de combustível".

Segundo a passageira, o avião saiu com atraso do aeroporto de Miami, depois que funcionários do aeroporto descarregaram a bagagem para retirar uma mala do bagageiro.

O repórter da BBC Roland Henry disse que os sobreviventes pensaram que a aeronave se preparava para fazer um pouso normal quando sentiram uma série de solavancos e viram malas e bagagem caírem dos compartimentos acima das poltronas.

Niko Hurley, que viajava de San Francisco e havia feito conexão em Miami, disse ao Jamaica Observer que as luzes do avião se apagaram, os bagageiros sobre os assentos se abriram e as malas caíram em cima dos passageiros.

"Sentimos cheiro de combustível e percebemos que algumas pessoas estavam feridas, então começamos a ajudá-las a sair do avião porque não tínhamos certeza se havia uma bomba ou algo assim a bordo", disse ele.

Os passageiros ficaram visivelmente abalados com o incidente e alguns sofreram fraturas ou cortes, disse Henry.

Alguns, como Verona Hall, também reclamaram da falta de estrutura do aeroporto para atender os feridos, que aguardaram socorro por cerca de meia hora.

"É uma vergonha que não tenha plano de emergência neste aeroporto", disse ela ao Jamaica Observer.

"Os passageiros feridos foram levados para o Hospital Público de Kingston", disse Vaz.

Fonte: g1, www.g1.com.br