Baiano elimina acarajé da dieta e perde 30 kg

Carlos é fisioterapeuta, foi professor de pilates e trabalhou em academia

Abandonar o acarajé foi uma das atitudes que o fisioterapeuta Carlos Fernando Rodrigues Almeida, de Salvador, teve que adotar para mudar a alimentação e perder peso. E o esforço valeu a pena: após atingir os 120 kg, ele conseguiu emagrecer e chegar aos 90 kg.


Baiano elimina acarajé da dieta e perde 30 kg

?Até o último momento que dei aula de pilates, consegui manter o peso. Quando deixei de ser professor e comecei a administrar a academia, ganhei 30 kg em pouco mais de um ano?, lembra o baiano, de 28 anos. Para recuperar a forma física, ele mudou toda a alimentação, diminuiu a carga de trabalho e começou a treinar jiu jitsu. ?Os treinos são muito fortes, chego a lutar 30 minutos sem parar todos os dias?, conta.

O sinal vermelho que fez Carlos perceber que precisava de mudança apareceu quando ele teve problemas de saúde. ?Tive urticária por causa do estresse, fiquei com a pressão alta e me sentia extremamente cansado só de subir uma escada. Além disso, tinha um sono péssimo e minha namorada dizia que eu roncava muito durante a noite?, lembra.

Na época, ele administrava sua própria academia e também dois estúdios de pilates em outros locais. ?Pensava só na profissão e acabei esquecendo do meu corpo. Todo mundo na academia era bonito, forte e eu era o redondinho?, brinca. Segundo ele, a mistura de ansiedade, má alimentação, estresse, sedentarismo e trabalho contribuiu para o excesso de peso. ?A reunião com os sócios era sempre no bar, saía para beber quase todos os dias e comia muita besteira?, lembra.

Em janeiro deste ano, ele recebeu uma proposta para vender sua academia e resolveu diminuir a carga de trabalho. ?Vendi a academia e fiquei trabalhando só com pilates, também na área administrativa?, conta. Com o tempo um pouco mais livre, Carlos voltou a treinar jiu jitsu e logo no primeiro treino, quase desmaiou. ?Me senti muito mal, tudo começou a rodar e não sei o que houve aquele dia?, lembra.

Para ajudar na parte da alimentação, ele procurou uma nutricionista para ajudar a montar uma dieta. Aliado à atividade física, o plano alimentar fez Carlos baixar dos 100 kg em apenas 3 meses.

?Faço acompanhamento nutricional toda semana para ver se preciso mudar algo na minha alimentação. Basicamente faço minhas refeições de 4 em 4 horas e sempre como frutas, saladas e alimentos menos calóricos?, diz. Além do acarajé, o baiano cortou também massas, bebidas alcoólicas e açúcar. ?Posso dizer que hoje sou uma pessoa totalmente reeducada na alimentação?, afirma.

A mudança de hábitos logo trouxe resultados tanto para aparência quanto para a saúde de Carlos. ?Não sinto mais nada e não tenho mais nenhum problema. Minha pele melhorou, durmo perfeitamente bem e hoje consigo subir um prédio inteiro sem cansar?, diz aos risos.

A relação com a namorada também melhorou e ela não reclamou mais do ronco durante a noite. ?Ela reclamava também que eu estava gordinho e até dizia que a tendência era piorar depois do casamento, mas provei para ela o contrário?, conta satisfeito.

Uma das dicas do baiano é descobrir uma fonte de prazer na vida que não seja a comida. ?Ao fazer isso, a pessoa consegue socializar melhor sem ter a comida como algo necessário nos lugares. Dá para aproveitar melhor a presença das pessoas?, analisa.

Quase um ano depois e 30 kg mais magro, Carlos se sente orgulhoso do resultado de todo seu esforço. Para ele, não existe segredo e a fórmula é simples e todo mundo sabe: unir a alimentação saudável com o exercício físico. ?As pessoas pensam que eu usei remédio, fiz cirurgia, mas fico feliz porque perdi peso de forma saudável?, conclui.

Fonte: Globo.com