Baleado, jornalista anda por quase um quilômetro e morre perto de hospital

Homem saia do carro para se encontrar com amigos em lancheria

Um jornalista de 44 anos foi assassinado na noite de quinta-feira (1) em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, como mostra reportagem do Bom Dia Rio Grande, programa da RBS TV (veja o vídeo).

Ele morreu depois de ter sido baleado por dois assaltantes no bairro Nossa Senhora das Graças, por volta das 19h. Ele iria se encontrar com amigos em uma lancheria para assistir ao jogo do Inter pela Copa do Brasil. Mas, antes de sair do veículo, acabou surpreendido por dois assaltantes. Ele arrancou o carro, mas levou um tiro na barriga.

Mesmo baleado, o jornalista andou por quase um quilômetro, e acabou parando na Avenida Santos Ferreira, a menos de 50 metros do hospital onde buscaria socorro. Ele teve que ser levado pelo Samu ao Hospital de Pronto-Socorro por causa da gravidade do ferimento.

Os criminosos fugiram sem levar nada. A polícia acredita que a dupla queria roubar o carro do jornalista. "Infelizmente, é uma espécie de crime que acaba sendo economicamente vantajosa para o criminoso. É recorrente tanto no Rio grande do Sul, quanto no Brasil", afirmou o delegado Pablo Rocha.

O homem morreu enquanto recebia atendimento. Ele morava em canoas, mas era funcionário da prefeitura de Porto Alegre há mais de 10 anos. Desde 2013 trabalhava como coordenador de comunicação da Secretaria de Obras e Viação. Também passou pela Bandeirantes e Rádio Guaíba. Fabiano Cardoso deixa dois filhos, de sete e 14 anos, e a mulher.

"O importante é nunca reagir. Acho que vivemos em um estado que a pena de morte existe e foi decretada pelo bandido contra o cidadão. Nós somos sobreviventes de uma guerra não declarada, do cidadão de bem contra o bandido", completou o delegado.

Fonte: G1