Bancários encerram greve de 21 dias e retornam ao trabalho

No Piauí, 112 agências ficaram paralisamos durante o movimento grevista.

Após 21 dias de greve, os bancário do Piauí realizaram na noite de ontem uma assembleia no auditório da entidade e decidiram pelo fim da paralisação, seguindo a orientação do Comando Nacional.

A partir de hoje, os empregados dos bancos privados, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal voltam ao trabalho. No entanto, a proposta de reajuste de 9% apresentada pela Fenaban foi rejeitada pelos bancários do Banco do Nordeste que mantêm a greve.

Na avaliação do vicepresidente do Sindicato dos Bancários do Piauí, João Sales Neto, “a proposta não foi exatamente o que a categoria reivindicava, o que resultou em uma greve cansativa e exaustiva”, frisa.

Mesmo assim, conforme complementa o presidente do SEEBF/PI, José Ulisses de Oliveira, foi um acordo positivo para categoria já que houve avanço e ganho real de 1,5%. Ele justifica informando que o piso dos empregados de bancos privados passou de R$ 1.225 para R$ 1.400, enquanto nos bancos públicos, o piso de um empregado da Caixa passsou de R$ 1.625 para R$ 1.806 e no Banco do Brasil passou para R$ 1.770.

João Sales disse não intender a postura dos empregados do Banco do Nordeste que rejeitaram a proposta e continuam a greve. “Agora é tentar negociar avanços no piso da categoria”, pondera o sindicalista informando que hoje a tarde haverá uma nova assembleia com os bancários do BNB para saber se eles têm uma eventual proposta que ponha fim a paralisação.

No Piauí, 112 agências ficaram paralisamos durante o movimento grevista, o que corresponde a 77% do total de agências paradas. Foram 9.590 agências e unidades bancárias paralisadas em todo país.

Fonte: Jornal Meio Norte