Bebê corre o risco de morrer por falta de uma vaga em hospital

Bebê corre o risco de morrer por falta de uma vaga em hospital

A Recém-nascida precisa ser submetida a uma cirurgia cardíaca delicada.

Um casal da cidade de Feira de Santana, a 100 km de Salvador, tenta conseguir uma vaga em hospital público especializado para que a filha recém-nascida seja submetida a uma cirurgia cardíaca delicada.

O operador de empilhadeira Luís Carlos dos Reis, pai da pequena Larissa, disse que a cirurgia custa R$ 80 mil e não tem como custear a despesa. "É risco de morte iminente", teme.

Larissa nasceu há 11 dias em Feira de Santana, mas a cirurgia só é feita em Salvador, onde não há vaga nos hospitais. Os pais da criança conseguiram junto ao Ministério Público Federal uma liminar obrigando município, estado e a união a cobrirem os custos da transferência e da cirurgia de Larissa.

A Secretaria da Saúde de Feira de Santana informou que vai ser encaminhado, nesta terça-feira (26), um documento para a Secretaria Estadual de Saúde pedindo urgência para o caso.

A Superintendência de Regulação do Estado, em Salvador, garantiu que assim que chegar o pedido com os dados do bebê vai tentar conseguir a vaga o mais rápido possível.

A criança tem problemas nas artérias do coração e apresentou sintomas como pele roxa e falta de ar.

Depois de vários exames, os médicos constataram que a menina precisa urgentemente de uma cirurgia, que só é feita em três hospitais da capital. Por enquanto, o bebê é mantido na UTI Neo-natal do Hospital da Mulher.

Fonte: G1