Bebê de aluna grávida queimada durante trote não corre risco

Foi queimada com uma mistura de gasolina e creolina jogada por uma veterana no trote

O bebê da estudante de 18 anos grávida que foi queimada com uma mistura de gasolina e creolina jogada por uma veterana durante um trote de faculdade no interior de São Paulo passa bem e não corre riscos.

Priscila Vieira Rezende Muniz foi agredida na calçada da Fundação Municipal de Educação e Cultura (Funec), em Santa Fé do Sul, a 625 km de São Paulo.

"Saindo da faculdade, chegou uma menina que falou que se não me pegasse hoje, me pegava amanhã?, disse a estudante.

Priscila teve que ficar internada. O delegado que investiga o caso diz que já sabe quem jogou a mistura na jovem ? uma estudante de pedagogia. Ele instaurou inquérito por lesão corporal dolosa grave.

Outras duas estudantes também sofreram queimaduras no mesmo trote. Em nota, a Funec disse que lamenta o incidente e que proibiu o trote violento dentro da universidade.

A fundação afirmou ainda que não pode se responsabilizar por ações de estudantes fora do campus e que aguarda o esclarecimento dos fatos para tomar as providências.

Fonte: g1, www.g1.com.br