Bebê de dois sexos passa por cirurgia urgente em Teresina

Ela foi levada para o Hospital Infantil, onde passou pela primeira cirurgia, que era considerada a mais urgente

Isadora Cristina, que agora é Maria Vitória, filha da adolescente Patrícia Quaresma Pereira, de 15 anos, nasceu às 18h30 do último sábado, na Maternidade do Hospital Buenos Aires, na zona Norte de Teresina, com dois sexos e deformação no ânus e rins.

Por conta disso, ela precisava de uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de uma cirurgia imediata, que só foi feita na noite do último domingo (12).

A avó do bebê, a dona de casa Luzia de Araújo Quaresma, de 28 anos, disse que a criança nasceu de forma prematura, com 8 meses de gestação. Maria Vitória nasceu com vários problemas e por isso precisa de cirurgia com urgência, já que nasceu sem ânus, problemas nos rins e com dois sexos, uma vagina e no meio um pequeno órgão reprodutor masculino.

?Ela só conseguiu a transferência para um outro hospital de Teresina às 20h de domingo. Isadora foi levada para o Hospital Infantil e fez a primeira cirurgia, a mais necessitada?, coloca Luzia de Araújo.

Os pediatras que atenderam a criança disseram que a família deveria procurar a Secretaria Municipal de Saúde para conseguir vaga em uma UTI para fazer imediatamente a cirurgia, abrindo um buraco na barriga para que ela consiga defecar, caso contrário a neta morreria.

?Graças a Deus ela resistiu bem à cirurgia. Saí meia-noite do hospital e ela já estava na UTI?, coloca a avó. O médico do Hospital Infantil, Ednaldo Miranda, disse que o sexo da criança ficou definido: é feminino. Em entrevista ao programa Agora, ele explicou que a criança nasceu com má formação urinária e na parte do aparelho digestório.

?O intestino, a parte ginecológica e a parte do aparelho urinário não é bem formada?, coloca o médico ao ressaltar que foi diagnosticado que a criança tem Persistência de Cloaca.

Casos como esse são raros, mas tem sido comum no Piauí. ?Estamos com duas crianças internadas nessa situação?, lamenta o médico.

Vitória, que esperou 24h por uma vaga na UTI ainda está no Hospital Infantil. As más formações são complexas, por isso estão sendo feitos exames, para saber a extensão do problema. ?O quadro é estável.

Ela está se recuperando bem dessa fase inicial. Só depois teremos uma avaliação completa sobre as más formações?, finaliza o médico Ednaldo Miranda.

Por conta de toda a luta que a bebê vem enfrentando, a família decidiu trocar o nome da criança, que agora passou a se chamar Maria Vitória Quaresma Pereira. ?Não é mais Isadora, agora é Maria Vitória, esse nome representará bem a luta de Vitória?, coloca a tia da mãe de Maria Vitória, Maria de Jesus.

A avó da menina conta que a filha fez os exames do pré-natal no posto de Saúde da Santa Maria da Codipi, onde a família mora e na Maternidade Dona Evangelina Rosa, mas os exames e o acompanhamento médico não detectaram nenhuma deformação na criança.

Fonte: Aline Damasceno