Bombeiros resgatam gatinho que ficou preso em motor de carro

Bombeiros agiram rapidamente, mas estado de saúde do bicho ainda é grave.

Um vídeo disponibilizado pela equipe do Corpo de Bombeiros mostra na íntegra como foi feito o resgate do filhote de gato de dois meses que ficou preso em um motor de carro na segunda-feira (28), em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Apesar da agilidade da equipe, o animal segue internado em estado grave em uma clínica veterinária da cidade.


Bombeiros resgatam gatinho que ficou preso em motor de carro

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista relatou que após verificar perda de potência do motor de seu carro, percebeu que havia um gato no interior do tubo de ar do motor. O felino foi levado para o Batalhão dos Bombeiros na cidade para que fosse removido com segurança. "Em cinco minutos nós conseguimos retirar o gatinho utilizando uma segueta (serrote)", conta o subcomandante Clodoaldo Donadon Pereira.

Para ele, o animal entrou no motor para se aquecer do frio e só não morreu porque tinha um filtro que impedia que o felino fosse completamente sugado: "Ele estava com frio e procurou se aquecer, mas por sorte existia essa peça que não deixou que ele entrasse totalmente?.

Segundo o dono do veículo, o fotógrafo Herly Júnior, sempre que ele ia sair de casa via alguns filhotes escondidos embaixo do carro, mas que nunca tinha acontecido algo assim. ?Quando eles (mecânicos) perceberam que o gato estava entalado na mangueira, nós tentamos retirá-lo, mas não conseguimos. Então, resolvemos levá-lo para o Corpo de Bombeiros".

Após ser retirado do motor e encaminhado ao veterinário, o gato passou por uma cirurgia no intestino para reconstituir uma perfuração no órgão que foi sugado pelo motor. Porém, segundo o veterinário que atendeu o gatinho, Osmar Ferreira Júnior, o estado de saúde do animalzinho é grave. Além do acidente, o bicho está abaixo do peso, desidratado e desnutrido. [ Veja vídeo ao lado]. "O animal está aguardando um período de cinco à sete dias de recuperação para que ele seja doado", diz o veterinário.

Fonte: G1