Brasil é o país com maior nº de mortes por gripe suína

O Ministério da Saúde afirma que o Brasil não encabeça o ranking da taxa de mortalidade

O Ministério da Saúde informou, em boletim divulgado nesta quarta-feira, que o número de mortes confirmadas por gripe suína no País chegou a 557. Com esse número, o Brasil se torna o país com maior número de óbitos de pacientes infectados pelo vírus A (H1N1), ultrapassando os Estados Unidos.

Apesar do número, o Ministério da Saúde afirma que o Brasil não encabeça o ranking da taxa de mortalidade pela nova doença. Comparando o número de mortes com a população, o Brasil fica em sétimo na lista, liderada pela Argentina, que registrou 439 mortes entre 40.276.376 habitantes.

Em segundo lugar aparece o Chile, seguido de Costa Rica, Uruguai, Austrália e Paraguai. Os Estados Unidos, que registraram 522 óbitos, são o 13º na taxa de mortalidade. O Ministério da Saúde afirmou que os países adotam periodicidade diferente para atualizar os números. Segundo o boletim, os últimos dados dos Estados Unidos referem-se a 15 de agosto.

Segundo os novos dados do ministério, de confirmações obtidas entre 25 de abril e 22 de agosto, as mortes no Brasil foram registradas em São Paulo (223), Paraná (151), Rio Grande do Sul (98), Rio de Janeiro (55), Santa Catarina (11), Minas Gerais (8), Distrito Federal (2), Paraíba (2), Bahia (2), Mato Grosso do Sul (1), Pernambuco (1), Rondônia (1), Pará (1) e Rio Grande do Norte (1).

O ministério não registra outras mortes ocorridas em outros Estados, que anunciaram óbitos por gripe suína depois do dia 22, como Amazonas e Acre. Os governos de Minas Gerais e Santa Catarina registravam ontem 12 mortes em cada Estado, número inferior ao anunciado pelo governo federal.

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos graves de síndrome respiratória aguda grave no Brasil permanecem em queda. No entanto, o órgão afirma que ainda não é possível concluir que a tendência seja definitiva, pois existem casos em investigação laboratorial ou que não tiveram as informações sobre a conclusão diagnóstica digitadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde no sistema de informação.

Segundo o balanço, 480 grávidas - que pertencem ao grupo de risco da gripe suína - foram infectadas pelo vírus A (H1N1). Destas, 58 morreram.

Fonte: Terra, www.terra.com.br