Brasileira que morreu a bordo de cruzeiro pela Europa sofreu traumatismo craniano, diz família

Apesar de o médico e a enfermeira terem sido bastante atenciosos, Bruna afirma que não havia estrutura suficiente para socorrer a sua avó.

A família de Mercedes Raia Lessi, 87, que morreu a bordo de um cruzeiro pela Europa na última terça-feira (19), disse que a causa da morte da paranaense não foi mal súbito, como notificou inicialmente a empresa MSC Cruzeiros, responsável pelo passeio marítimo.

"Minha avó tinha uma saúde melhor do que a nossa", ressalta Bruna Reis, neta de Mercedes. Segundo ela, a idosa, que fazia o passeio acompanhada de duas filhas, sofreu um traumatismo craniano após tropeçar na rebarba de uma das escadas do navio. Essa versão, de acordo com Bruna, foi confirma por uma perícia.

"A queda ocorreu por volta das 20h30, quando estava indo jantar, mas o coraçãozinho dela só veio a parar às 9h do dia seguinte. Não poderia ser mal súbito, não é mesmo?", questiona Bruna, que informou que o atendimento que a sua avó teve a bordo do navio foi bastante precário.

Apesar de o médico e a enfermeira terem sido bastante atenciosos, Bruna afirma que não havia estrutura suficiente para socorrer a sua avó. "Ela foi atendida em uma cadeira de rodas, e nem mesmo o aparelho de pressão funcionava direito", conta.

O corpo de Mercedes, que teve de ser congelado, passou três dias em alto mar e desembarcou nesta sábado (23), em Salvador (BA). A neta não deu detalhes de como será feito o translado até Londrina (PA), local onde vive grande parte da família e onde será feito o velório.

Os demais tripulantes do cruzeiro devem chegar a Santos, no litoral de São Paulo, até terça-feira (26).

Fonte: UOL