Brasileiro cria projeto localizador de estrelas e chama atenção de Nobel

Brasileiro cria projeto localizador de estrelas e chama atenção de Nobel

Com o céu modelado em interface gráfica 3D desenvolvida em Java e usando OpenGL, o usuário seleciona uma estrela no app.

O Dr. John Cromwell Mather, laureado com o Prêmio Nobel de Física em 2006, visitou nesta terça-feira na feira Intel ISEF 2014 o estande do Projeto Star Tracker, uma criação do brasileiro Leonardo Vasconcelos Lopes, de Nova Andradina, Mato Grosso do Sul.

Finalista Mostratec da ISEF, maior feira de ciências do mundo, iniciada em Los Angeles na segunda-feira, o projeto ?Star Tracker: Um Framework Computacional para Localização de Corpos Celestes? consiste no desenvolvimento de um dispositivo para localizar corpos celestes por meio de um aplicativo para plataforma Android.

Com o céu modelado em interface gráfica 3D desenvolvida em Java e usando OpenGL, o usuário seleciona uma estrela no app, cuja interface emula um céu noturno. Com as coordenadas do corpo celeste (ascensão reta e declinação) e cálculos de tempo sideral, é possível conhecer sua direção em relação à posição do observador terrestre, expressa em latitude e longitude. As coordenadas (azimute e elevação) são imediatamente enviadas para o dispositivo apontador por meio da interface sem fio Bluetooth.

Um dispositivo microcontrolador Arduino serve de ponte entre os atuadores eletrônicos, os motores de passo e o software. O Arduino recebe a informação e move os motores de passo do implemento, com precisão de 0,08 graus de arco, para posicionar um laser na direção da estrela, entregando ao usuário informações sobre o corpo celeste. Este laser tem uma particularidade de potência que faz com que seu feixe seja visível.

Leonardo Vasconcelos Lopes é técnico de informática formado pelo IFMS (Instituto Federal do Mato Grosso do Sul). No início de 2014, ele recebeu um prêmio na Febrace 11, o que levou à sua participação na Mostratec.

? Depois da Mostratec, quando estava no aeroporto de Congonhas voltando para casa, comecei a receber diversas mensagens no celular me parabenizando. Só então fiquei sabendo que eu viria para a Intel ISEF 2014 aqui em Los Angeles. Fiquei empolgadíssimo e, em pleno aeroporto e acompanhado de uma amiga de Corumbá, ficamos pulando e gritando comemorando ? conta Leonardo. ? Através do arcabouço tecnológico do projeto Star Tracker, meu objetivo é levar a observação astronômica para locais remotos ou com poucas condições, onde não existam profissionais capacitados para ministrar uma noite de observação.

Leonardo ainda enfrenta dificuldades com a língua inglesa e teve pouco tempo para se preparar para o ISEF, já que os cursos intensivos do idioma na cidade onde mora são caros demais para seu orçamento familiar.

Fonte: Extra