Brasileiro de  19 anos que estuda na melhor universidade do mundo sonha  com a NASA

Brasileiro de 19 anos que estuda na melhor universidade do mundo sonha com a NASA

Ariel faz parte de um time seleto. Segundo ele, apenas cinco brasileiros estudam na Caltech.

Ariel Setton, 19 anos, pode se orgulhar em dizer que estuda em uma das melhores universidades do mundo. Após terminar o colégio, o jovem deixou o País para embarcar para Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia), onde foi aprovado no ano passado. A universidade liderou o ranking de melhores do mundo da revista Times Higher Education, deixando para trás Harvard, Oxford e Stanford.

Ariel faz parte de um time seleto. Segundo ele, apenas cinco brasileiros (três pós-graduandos e dois graduandos) estudam na Caltech. Entre os sonhos posteriores, está trabalhar na NASA (Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço).

O jovem não fez curso pré-vestibular. Desde cedo, ele sabia que isso não seria suficiente para concorrer às vagas das universidades americanas. Além de se sair bem no SAT (Scholastic Assessment Test), o vestibular americano, Ariel foi avaliado por seu histórico escolar, atividades extracurriculares, seu desempenho em esportes e em competições acadêmicas (como a Olimpíada Brasileira de Matemática) e até suas atividades comunitárias.

? Por isso, quem quer estudar nos EUA precisa se concentrar nos próprios pontos fortes, obter bons resultados nas atividades que pratica e, é claro, estudar bastante.

Filho de pai corretor de imóveis e mãe formada em direito, Ariel conta que os pais o estimularam desde cedo a aprimorar seus talentos, como matemática e a música. Foi durante o ensino médio que um coordenador falou sobre a chance de estudar fora do Brasil.

? Naturalmente, corremos atrás.

Ariel conta que ainda que não decidiu no que quer trabalhar, porque diz acreditar que após cursar computer science (ciência da computação) terá muitas opções.

? A NASA é definitivamente uma possibilidade.

Das nove universidades para as quais se candidatou (Caltech, Stanford, MIT, Columbia, Princeton, Harvard, Harvey Mudd, Duke e Johns Hopkins), Ariel foi aceito em três: Caltech, Columbia e Princeton.

? Lembro-me como se fosse ontem de quando recebi um e-mail, às 7h da manhã, intitulado "Welcome to Caltech" (Bem-vindo a Caltech). Foi motivo de comemoração imediata! Depois de alguns dias, fiquei surpreso de ter passado na universidade mais difícil da minha lista, mas não nas mais fáceis! Vai entender.

Ariel dá um conselho simples a quem sonha em estudar fora: ?comece cedo".

? Se possível, participe de atividades extracurriculares, mas concentre seus esforços naquelas que você mais gosta e se sai melhor.

Sobre o custo, Ariel lembra que universidades boas dão bolsas parciais ou até integrais para alunos com necessidades financeiras. Ele, por exemplo, recebe bolsa de 30%. Na Columbia, conta, recebeu oferta de quase o dobro disso.

? De modo geral, se você passar em uma universidade, ela fará o que puder para garantir que você estude nela.

Fonte: R7, www.r7.com