Estudo descobre que café pode evitar a cárie, removendo placa bacteriana

Uma nova pesquisa sugere que, bebendo com moderação, o café pode realmente ajudar com certas doenças da boca.


Brasileiros descobriram que café pode evitar a cárie, removendo até mesmo a placa bacteriana

Uma nova pesquisa sugere que, bebendo com moderação, o café pode realmente ajudar com certas doenças da boca.

Cientistas brasileiros descobriram que um certo tipo de grão de café possui uma propriedade antibacteriana. Se ele está forte, preto, sem açúcar, e com moderação, pode sim ajudar a manter a saúde dos dentes.

Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro testaram em dentes de leite extraídos com um extrato de Coffea canephora, um tipo de grão que representa 30% do café do mundo.

Eles descobriram que o café quebra ativamente o biofilme bacteriano que causa placas dentárias, uma das principais causas de outros problemas com a boca.

A chefe da pesquisa, Andréa Antônio, disse: "Estamos sempre à procura de compostos naturais - alimentos e bebidas que possa ter um impacto positivo sobre a saúde dental?.

Os pesquisadores acreditam que os antioxidantes polifenóis do café foram provavelmente responsáveis pelo efeito da quebra, mas disseram que mais pesquisas são necessárias para estabelecer uma ligação direta.

Professor Antônio, consultado pelo DailyMail, escritor de revista sobre microbiologia aplicada, alertou que muito café ainda pode ser ruim para os dentes. Ele afirma: "Embora este seja um resultado emocionante, temos de ter o cuidado de acrescentar que existem problemas associados com o consumo de café em excesso, incluindo a coloração amarelada e os efeitos da acidez sobre o esmalte do dente?.

"A mesma coisa acontece se você tomar uma grande quantidade de açúcar e creme adicionados em seu café: os efeitos positivos sobre a saúde dental são, provavelmente, nulos?, reitera o professor.

Outra investigação paralela descobriu que um efeito similar pode ser encontrado em folhas de lúpulo, usadas para fazer cerveja. Cientistas da Universidade de Farmácia e Ciências da Vida de Tóquio, no Japão, descobriram que as folhas contêm polifenóis que podem impedir a liberação de toxinas bacterianas na boca.

Yoshihisa Tanaka, escrevendo para o Journal of Agricultural and Food Chemistry, disse: "Todos os anos, os agricultores colhem cerca de 2.300 toneladas de lúpulo, nos Estados Unidos, mas as brácteas não são usadas para fazer cerveja e são descartadas. Assim, há potencialmente uma grande quantidade de brácteas que pode ser reutilizado em aplicações dentárias?.

Fonte: Daily Mail