Brasileiros que viajam de bicicleta pelo continente foram surpreendidos por terremoto

Brasileiros que viajam de bicicleta pelo continente foram surpreendidos por terremoto

Luciana afirma que eles só foram ter ideia dos estragos quando se aproximaram de Concepción

O Itamaraty informou nesta semana que possuía uma lista de cerca de 800 nomes de brasileiros que estavam no Chile e ainda não haviam feito contato com os parentes no Brasil. É bem provável que o catarinense Alinde Korsett, de 36 anos, e a paulista Luciana Afonso, de 26, fizessem parte dessa relação. De bicicleta, os dois estavam passando por Concepción na tarde de quinta-feira (4). Foram surpreendidos pelo terremoto quando pedalavam entre as cidades de Victoria e Traiguén, a cerca de 250 km ao sul de Concepción.

Alinde e Luciana estão viajando de bicicleta desde 7 de janeiro do ano passado ? saíram de Florianópolis, chegaram a Ushuaia, no extremo sul do continente, e voltaram subindo pelo Chile. ?Foi uma coincidência grande estarmos perto da zona do tremor justo nesse momento?, diz Alinde. Luciana afirma, porém, que eles só foram ter ideia dos estragos quando se aproximaram de Concepción. ?Estávamos dormindo na barraca e sentimos tremer bastante, mas não nos aconteceu nada?, afirma ela.

Quando encontrei com eles, os dois estavam apressados. Não aceitaram que seus rostos aparecessem na foto. Estavam tentando achar um lugar mais tranquilo fora de Concepción. Queriam chegar logo a Santiago, mas a viagem certamente seria complicada. Os 519 quilômetros que separam as duas cidades têm sido percorridos numa média de nove a doze horas. Isso porque a Ruta 5 Sur, principal ligação entre Santiago e Concepción, foi danificada em vários pontos. Pontes caíram e o asfalto cedeu, engolido por imensas fendas. Os desvios são inúmeros, e os congestionamentos chegam a quase cinco quilômetros nos piores trechos.

Fonte: Época