Buraco na Avenida Valter Alencar leva risco a motoristas na z.Sul

Tem causado prejuízos e riscos, para motoristas e pedestres

O que parece ser apenas um buraco no meio do “caminho”, é na verdade um perigo, constante, no meio de uma avenida. Trata-se de um buraco no meio da Avenida Valter Alencar, localizado entre as Avenidas Miguel Rosa e Barão de Gurgueia, na zona Sul de Teresina, e que tem causado prejuízos e riscos, para motoristas e pedestres, que circulam pela via. A denúncia partiu de proprietários de lojas, oficinas de carros, motos e de motoristas de modo geral.

Um dos empresários do local resolveu preencher a minicratera com pneus, para evitar acidentes e impedir que algum motorista possa ter as rodas, pneus e ou outras peças de seus veículos, danificadas. 

Um dos reclamantes é o funcionário de uma das oficinas mecânicas, localizada nas proximidades do problema, Eduardo Nóbrega de Carvalho. Segundo ele, há mais de um mês o buraco começou a se formar até chegar ao ponto de caber uma roda de um carro.

“O único jeito de sinalizar o local foi encher o buraco de pneus, para chamar a atenção de motoristas, pedestres e ciclistas. Já ligamos para a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU/Sul), mas até o momento não mandaram arrumar”, diz Eduardo Nóbrega. 

O proprietário de uma oficina mecânica, conhecido por Novato, explica que tudo começou com um vazamento no meio do asfalto e a partir daí, o buraco começou a se formar.

“Os clientes chegam à oficina reclamando, e muitos deles já tiveram prejuízos com rodas empenadas, pneus cortados e outros danos em seus veículos.

Não é porque temos uma oficina, que vamos querer que as pessoas sofram acidentes ou que tenham prejuízos com peças de seus veículos, quebradas. Se não tivéssemos enchido o buraco com pneus, já teríamos tido vários acidentes, devido à profundidade em que o buraco está”, diz Novato.

Motoristas reclamam da situação 

Os motoristas que trafegam pelo local também se dizem indignados com a situação. O Paulo Rogério Rodrigues Filho conta que reside no município de Presidente Dutra, no Maranhão, mas está em Teresina e coincidentemente, precisou passar pela Avenida Valter Alencar. 

"Acho um absurdo, uma capital como Teresina, ter um buraco imenso, desses, no meio da rua. Tanto pode provocar acidentes, como também pode quebrar peças dos carros ou motos, causando prejuízos financeiros aos motoristas. Sem contar que um buraco no meio de uma pista, e sendo ela muito movimentada, põe em risco a vida de pessoas", diz o motorista.

Quem reside em Teresina também reclama da situação e diz que o problema pode aparentar ser pequeno, mas pode provocar algo maior que são, principalmente, os acidentes. "Sempre que passo por aqui, tenho que desviar desse buraco, para evitar algum tipo de acidente. 

Em algumas situações é preciso ter cautela e esperar que o outro motorista passe, para não ter o risco de causar algum tipo de acidente. Se não tivesse esses pneus, com certeza já teriam ocorrido muitos acidentes", acrescenta.

O coordenador de asfalto da Prefeitura de Teresina, Daniel Pereira (foto), depois de ouvir as reclamações em relação ao problema, localizado no meio da Avenida Valter Alencar, sinalizou que ainda esta semana, a prefeitura vai tomar as devidas providências. (L.M.)

População quer festejar aniversário de buraco 

O também proprietário de oficina mecânica, localizada na Avenida Valter Alencar, João Carlos, disse que já pensou até em "festejar" os mais de três meses de buraco, com velas e um bolo. 

"Estou querendo comemorar o aniversário desse buraco, porque faz tanto tempo que ele está aí e ninguém toma nenhuma providência, que já está fazendo aniversário. 

O mais importante é arrumar primeiro um possível cano de água quebrado que existe neste local, há muito tempo e que provocou o aparecimento do buraco no meio da avenida", relata.

João Carlos diz ainda que mesmo com os pneus velhos, que estão preenchendo o vazio do asfalto, vez por outra um carro bate nas laterias dos pneus, onde estão se formando buracos menores, provocando barulhos assustadores.

"Escuto cada pancada que, com certeza, muitos motoristas estão tendo peças de seus veículos quebrados. E não adianta recapear a avenida, se não for consertado o cano que deve está quebrado", reitera.

Fonte: Lindalva Miranda