Cachê de R$ 650 mil para show de Ivete Sangalo provoca bate-boca entre Cid Gomes e procurador

Cachê de R$ 650 mil para show de Ivete Sangalo provoca bate-boca entre Cid Gomes e procurador

Ele disse que o governador não respeita as instituições democráticas e age de forma desrespeitosa.

A cantora Ivete Sangalo foi convidada e aceitou realizar um show para a inauguração do Hospital Regional da Zona Norte, em Fortaleza. Apesar da animação da apresentação da última sexta-feira, o cachê de R$ 650 mil, que foi pago nesta quarta-feira com dinheiro público, provocou uma troca de farpas entre o governador do Ceará, Cid Gomes, e o procurador de Contas do estado, Gleydson Alexandre.

O procurador, que é contra o valor do show, recorreu após pedido do Ministério Público sobre o caso ser arquivado no dia 16 de janeiro pelo Tribunal de Contas do Ceará. Ele listou seis shows da cantora em outras cidades que foram realizados por um valor menor, com variação entre R$ 400 mil e R$ 500 mil. Em Eunápolis, na Bahia, por exemplo, R$ 400 mil foi o preço para ter Ivete Sangalo como atração.

- O que é o Ministério Público de Contas? É um garoto que deseja aparecer e fica assim criando caso. O MP é uma parte. Ele entrou com uma ação, o presidente do Tribunal indeferiu e aí, pra ganhar mídia, pra ficar aparecendo na imprensa, fica fazendo recurso - disse Cid Gomes, que já havia afirmado ao jornal "O Povo" que continuará gastando com atividades de lazer. "Doa a quem doer".

Em nota, o procurador reagiu. Ele disse que o governador não respeita as instituições democráticas e age de forma desrespeitosa.

"As declarações feitas pelo Excelentíssimo Sr. Governador do Estado do Ceará, Cid Gomes, em relação a minha atuação no caso da contratação da artista Ivete Sangalo, mostram-se desrespeitosas ao Ministério Público de Contas (MPC) e demonstram que o Chefe do Executivo Estadual não tem o menor respeito pelas Instituições Democráticas", escreveu Gleydson.

O procurador afirma ainda que o órgão do qual faz parte tem o direito constitucional de recorrer de uma decisão do Tribunal de Contas.

"Mais que isso. Percebe-se que o Exmo. Governador não aceita que o MPC cumpra a sua obrigação de fiscalizar o adequado uso dos recursos públicos estaduais, chegando, inclusive, a indagar "o que é o Ministério Público de Contas?"".

O procurador disse que a justificativa de preço deveria ser feita de acordo com a Lei de Licitação. Segundo ele, o recurso apresentado será analisado no dia 5 de fevereiro pelo plenário do Tribunal de Contas do Ceará.

- Infelizmente, hoje foi feito o pagamento. Mas, se for constatada a irregularidade, o dinheiro poderá ser devolvido ao Erário - disse Gleydson.

Sobre o preço da apresentação da cantora para a inauguração de hospital, Cid Gomes declarou:

- Pergunte se a Ivete Sangalo cobra menos do que isso. Se ela cobrar, me avise que eu vou tentar contratá-la mais barato - disse ele, durante a posse do presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Francisco Aguiar.

Fonte: O Globo