THE: Cadeirantes acusam serviços do Transporte Eficiente

THE: Cadeirantes acusam serviços do Transporte Eficiente

Em uma reunião com o Ministério Público, os cadeirantes de Teresina denunciaram o péssimo funcionamento do Transporte Eficiente, da PMT

Uma reunião realizada na manhã de ontem no prédio do Ministério Público do Trabalho, na Avenida Miguel Rosa, contou com a presença de representantes da Associação dos Cadeirantes do Município de Teresina ? Ascamte, da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e do MPT para definir o que pode ser feito para melhorar o serviço Transporte Eficiente, que utiliza vans especiais para transportar portadores de deficiência em Teresina. O projeto tem sido alvo de reclamações por parte dos usuários.

De acordo com a tesoureira da Ascamte, Silvana Miranda, o transporte vem sofrendo sérias restrições nos últimos dias, atendendo apenas aos cadeirantes que trabalham ou estudam. ?Na verdade, nunca houve uma dotação orçamentária para esse serviço, apesar de o Transporte Eficiente ter sido criado por Lei. O serviço sempre deixou pouco a desejar, mas garanto que nunca havíamos passado por uma situação como essa. Há cadeirantes que precisam fazer hemodiálise, por exemplo. Também temos a necessidade de lazer?, disse Silvana.

Os cadeirantes temem que a falta de transporte prejudique até mesmo o evento Festival do Sorvete, organizado pela Ascamte e programado para este domingo no Clube do Gari, na zona norte da capital. ?Já vendemos todos os ingressos, e essa situação agora nos dá uma incerteza muito grande?, complementou a tesoureira da associação.

A estudante Ester Clara de Araújo também sofre com o problema. Ela cursa, no turno da manhã, a graduação em Administração de Empresas na UESPI. ?Minha aula termina ao meio-dia, mas tenho de esperar por quase quatro horas até que o carro passe. As pessoas ficam estranhando e perguntam o porquê de eu estar lá sozinha?.

Enquanto a audiência desenrolava-se, muitos cadeirantes ficaram reunidos no térreo, na recepção do prédio do MPT.

Ao final da reunião (que contou com a presença da superintendente da Strans, Alzenir Porto), ficou decidido que a Superintendência de Transportes tem cinco dias para aumentar a quilometragem máxima de cada um dos veículos ? de seis para oito mil quilômetros mensais.

Na terça (13), os cadeirantes deverão fazer mais uma reunião sobre o assunto, dessa vez contando com a participação de representantes da equipe de transição da administração municipal, para buscar garantias de que o serviço Transporte Eficiente não sofrerá mais cortes de gastos até o fim do ano.

Coincidentemente, outra reunião feita ontem no MPT teve como assunto uma demanda dos portadores de necessidades especiais. Uma audiência conduzida pela procuradora Jeane Colares e com a presença de representantes de entidades ligadas aos portadores de deficiência tratou de determinar a criação de um trabalho específico voltado para as empresas, direcionado para a necessidade do cumprimento do artigo 93 da Lei nº 8.213/91, que discorre sobre a cota de pessoas com deficiência em empresas com mais de 100 funcionários. A preocupação do MPT é observar se todos os tipos de deficiência estão sendo abordadas de forma semelhante, sem discriminações.

Fonte: Dowglas Lima