Caderno For Teens do Jornal Meio Norte conversa com aluno piauiense que vai competir na Bolívia

Caderno For Teens do Jornal Meio Norte conversa com aluno piauiense que vai competir na Bolívia

Piauiense vai representar o estado em competição na Bolívia. é o estudante do curso técnico em contabilidade do IFPI, Weslley Rodrigues

O aluno do curso técnico em Contabilidade do Instituto Federal do Piauí (IFP), Weslley de Vasconcelos Rodrigues, 18 anos, representará novamente o Piauí e o Brasil, na V Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), que começará amanhã, (19) e vai até dia 24 de outubro, em Cochabamba, na Bolívia.

O piauiense está sendo treinado pelo professor de Física do IFPI, Leudimar Uchôa, no qual acompanhou o jovem nesta mesma competição em 2012, onde Weslley foi medalhista de ouro.

Neste ano, além do professor, o jovem também viajará com a equipe brasileira de que fazem parte um cearense, um pernambucano e dois paranaenses. Além destes, dois astrônomos brasileiros doutores - João Canalle e Júlio Klafke - acompanharão os alunos na viagem.

Apesar de não haver prêmios em dinheiro ou equivalentes, Weslley de Vasconcelos afirma que o conhecimento da Física e o reconhecimento pelo estudo de cada participante são os verdadeiros prêmios da competição. Para saber mais sobre a disputa e a expectativa de Weslley, o For Teens bateu um papo com o jovem! Acompanhe.

For Teens - Qual a expectativa para participar novamente da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica?

Weslley - A expectativa é muito boa. Estou muito feliz pela segunda oportunidade de representar não só o Piauí, mas o Brasil na competição latino-americana. Este ano estamos com o mesmo intuito de trazer o ouro!

FT - Como funciona a competição e há quanto tempo está se preparando?

Weslley - Há uma série de provas que serão realizadas durante a semana em que estaremos lá: manuseio de telescópio, observação do céu a olho nu, prova de planetário, prova teórica grupal e individual, além de confecção e lançamento de foguetes artesanais de material reciclável.

A preparação se intensificou desde 31 de março de 2013, data em que foi feito o anúncio oficial dos alunos brasileiros selecionados para ir à olimpíada. Mas, antes dessa data, já estávamos estudando, pois tivemos de passar por várias provas para ser selecionados.

FT - Em 2012, nesta mesma competição, você ganhou o ouro. O que to levou ao primeiro lugar?

Weslley - O ouro teve um gostinho de superação, pois não me saí bem na prova teórica individual, mas consegui reverter essa situação nas provas de planetário e teórica Grupal, em que tive notas altas.

FT - Além desta competição, você já participou de outras?

Weslley - Sim. OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas): 1 bronze e 3 pratas. OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia): 1 bronze e 2 ouros.

For Teens - De que forma tais participações nesses tipos de eventos acrescentam em sua vida acadêmica, profissional e pessoal?

Weslley - Vida acadêmica - essas competições apresentam ao aluno um novo campo de estudo, muitos conhecimentos que, na escola, não são vistos. Aprender coisas novas é sempre bom. A astronomia fez com que eu me aproximasse mais das Ciências de um modo geral.

Vida profissional - o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. Muitas vezes a oportunidade de trabalho é conquistada por detalhes. Os empregadores buscam pessoas interessadas em resolver desafios, em encontrar soluções. Estes eventos dão uma experiência de competição aos participantes.

Vida pessoal ?Viajar a outro país, conhecer novas pessoas, suas culturas e como pensam. É uma aventura!

O professor que treina Weslley, Lucimar Uchôa, também acrescenta que ganhar a competição auxilia o aluno a pleitear bolsas de estudo fora, pagas pelo governo federal. Além disso, ele torce pela vitória de Weslley e fala sobre intenção da olimpíada.

?Ela ajuda a puxar mais alunos para essa área científica que está escassa, estreita mais o elo dos alunos com essa disciplina?. Enquanto isso, a equipe do For Teens deseja ao jovem Weslley Vasconcelos boa sorte na OLAA e torce para que ele traga, novamente, o ouro para o nosso estado e consequentemente para o país.

Fonte: Flávia Araújo e Tatiara de França