Caixa registra novo recorde ao emprestar R$ 34 bilhões para compra da Casa Própria

Caixa registra novo recorde ao emprestar R$ 34 bilhões para compra da Casa Própria

Para 2010, banco prevê aplicação em crédito imobiliário acima de R$ 60 bilhões

A Caixa Econômica Federal fechou o primeiro semestre de 2010 com um total de R$ 34,10 bilhões de crédito para a compra da casa própria, tendo sido assinados mais de 575 mil contratos. No Piauí a Caixa Econômica Federal contratou R$ 294,5 milhões a 8,5 mil famílias. Segundo balanço divulgado, hoje (19), pelo vice-presidente de Governo da CAIXA, Jorge Hereda, desse total, R$ 16,48 bilhões foram destinados ao Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Do volume aplicado no Piauí R$ 208,8 milhões foram destinados ao Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) De acordo com o banco, o volume de recursos para o crédito habitacional, nos primeiros seis meses deste ano, representa um crescimento de 95,1% em relação ao mesmo período do ano passado e já é maior que todo o montante aplicado em moradia no ano 2009, quando foram emprestados R$ 23,3 bilhões. O número já chega a quase 7 vezes ao que foi emprestado em 2003. No Piauí o crescimento nos primeiros seis meses deste ano foi de 293,4% em relação ao mesmo período de 2009 e 92,26% do total emprestado por todo ano de 2009. O volume Investido no Piauí no primeiro semestre de 2010 já chega a quase 4 vezes ao que foi emprestado em 2003. A previsão é de que até final deste ano a aplicação de recursos em crédito imobiliário seja acima de R$ 60 bilhões. A previsão de aplicação de recursos em crédito imobiliário no Piauí será superior a R$ 600 milhões. “O desempenho da CAIXA, em financiamento habitacional, é compatível com o atual ciclo de desenvolvimento econômico e de inclusão social do país. Mostra a capacidade da empresa para responder aos desafios da política habitacional do Governo Federal e articular projetos urbanos em parceria com os estados e municípios brasileiros”, afirmou a presidenta da instituição, Maria Fernanda Ramos Coelho. Para Hereda, a expansão do crédito imobiliário foi decisiva para a consolidação de todas as principais economias desenvolvidas. “No Brasil, o volume de crédito imobiliário ainda é inexpressivo, se comparado ao PIB e, portanto, acredita-se que o atual ciclo virtuoso se sustentará ao longo dos próximos anos, sendo factível a expectativa de se atingir uma relação de 10% do PIB até o final de 2015”, explica o vice-presidente. O resultado expressivo do semestre também pode ser associado à realização da sexta edição do Feirão CAIXA da Casa Própria. O evento, que passou por treze cidades brasileiras, recebeu 576.194 visitantes e movimentou um volume de recursos de R$ 8,4 bilhões. Os números confirmaram a expectativa do banco em superar as edições anteriores e representam um aumento de 70% em comparação ao volume movimentado no ano passado, de R$ 5 bilhões. No Programa Minha Casa Minha Vida, desde o lançamento, em abril de 2009, foram assinados mais de 542 mil contratos. FGTS, SBPE e Outras fontes Merecem destaque as linhas de crédito habitacional, destinadas a financiar a produção e a aquisição de imóveis novos. Para imóvel novo ou na planta, os empréstimos alcançaram o valor de mais de R$ 20,8 bilhões (sendo que recursos FGTS somam R$ 11,43 bilhões, SBPE R$ 5,15 bi, FAR R$ 4,1 bi e demais fontes R$ 0,12 bi), 173,7% a mais que o primeiro semestre de 2009. A quantidade de unidades aumentou 300%, saindo de 74.898 em 2009 e chegando a 301.405 no mesmo período em 2010. Já os recursos investidos no financiamento de imóveis usados aumentaram 39% nos primeiros seis meses do ano, com relação ao mesmo período em 2009, saltando de R$ 9,6 bilhões para R$ 13,3 bilhões.

Fonte: Caixa