Caixa terá de pagar R$ 100 mil a funcionário por assédio sexual

Além do depoimento do funcionário, testemunhas relataram que a vida dele virou "um inferno"

A CEF (Caixa Econômica Federal) foi condenada em um caso raro: terá de pagar R$ 100 mil de indenização a um funcionário que sofreu assédio moral e sexual de sua chefe, gerente de uma unidade da instituição.

Modelo fotográfico, ele relatou à Justiça que a chefe sempre elogiava a sua beleza usando "termos lascivos". Diariamente, insistiria para que saíssem juntos depois do trabalho. Rejeitada, a mulher teria passado a chamá-lo de "incompetente, inútil e imbecil". Depois, cortou uma gratificação especial que o modelo recebia como caixa-executivo.

Além do depoimento do funcionário, testemunhas relataram que a vida dele virou "um inferno" com as cantadas da chefe. A CEF recorreu, mas acabou derrotada.

"Vão achar que é mentira, mas nunca queimei um "baseado". De medo. Tive um amigo que começou na maconha, passou para a heroína e acabou se jogando do décimo andar dizendo que era o Super-Homem."

Fonte: Folha