Em Campo Maior, formação de cartel na venda de gasolina é detectada

Em Campo Maior todos os 8 postos pesquisados estavam vendendo a gasolina a R$ 2,75.

De acordo com o levantamento de preços e de Margens de Comercialização de combustíveis, realizado semanalmente pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural de Biocombustíveis (ANP), há indícios de cartel praticado por postos de combustível de Campo Maior, que praticam preços idênticos. A ANP vai abrir procedimento administrativo para investigar esses locais por práticas anticoncorrenciais.



De acordo com a ANP os postos revendedores de etanol pesquisados em Campo Maior estavam vendendo o etanol a R$ 2,35, apesar de todos eles apresentarem notas ficais de compra indicando que compraram os combustíveis a preços diferentes. Em um dos postos pesquisados em Campo Maior o revendedor adquiriu o etanol a R$ 1,859, em outro estabelecimento o mesmo produto foi adquirido a R$ 2,24, mas ambos estavam com preços iguais de venda ao consumidor.

Em relação à gasolina é verificada a mesma prática nos postos de Campo Maior. Em Campo Maior todos os 8 postos pesquisados estavam vendendo a gasolina a R$ 2,75. A ocorrência de suspeitas de práticas anticompetitivas nos postos pesquisados são comunicadas pela ANP aos órgãos de defesa da concorrência.

No que se refere especificamente à detecção de indício de cartel nos mercados de revenda de combustíveis, a ANP desenvolveu metodologia específica para esta atribuição. Com base em metodologia própria e nos dados do Levantamento de Preços é possível detectar indícios, do ponto de vista da análise estritamente econômica, de práticas anticompetitivas nos mercados analisados.

Ressalta-se, porém, que análises complementares do comportamento dos preços a partir de informações adicionais e utilizando metodologia distinta podem alcançar diferentes resultados.

Fonte: portalcampomaior.com.br