Câncer de boca é rastreado pelo Hospital Getúlio Vargas

Pelo menos 400 pessoas foram atendidas no final de semana no HGV para que tivessem manhcas e feridas da boca avaliadas.

A equipe do Hospital Getúlio Vargas realizará um mutirão, no dia 14 de julho, com o objetivo de diagnosticar os casos de câncer de boca na capital.


Câncer de boca é rastreado pelo HGV

Nesse sábado, cerca de 400 pessoas passaram pelo hospital, onde foram analisadas e identificados os possíveis casos da doença. No dia 14, aquelas que estão sob suspeita, deverão voltar para a realização do exame que confirmará ou rejeitará a hipótese de estar com a doença.

A coordenadora do projeto, a médica Katia Marabuco, diz que esse mutirão é necessário para que sejam identificados os casos da doença, que está cada vez mais frequente na sociedade brasileira.

?Sábado, 30, nós examinamos as pessoas que vieram até nós e algumas delas estão sob suspeita. No dia 14 elas voltarão ao hospital para fazer o reexame e coletarmos material para a biopsia?, disse a médica.

O câncer de boca é a 7° neoplasia mais comum nos homens. Segundo Kátia, isso está relacionado principalmente ao fumo, um dos fatores de risco.

Além disso, esse quadro tende a ficar ainda mais grave devido ao fato de os homens não cuidarem de sua saúde como deveriam.

Outro caso que tem crescido muito é o de câncer de boca associado ao HPV, vírus que causa o câncer do colo do útero. Esse tipo de câncer começa silenciosamente com uma mancha na boca, que pode ser branca ou vermelha.

As principais causas são a exposição frequente ao sol associada ao uso de fumo e álcool.

O exame rotineiro da boca feito por um profissional de saúde pode diagnosticar lesões no início, antes de se transformarem em câncer.

Pessoas com mais de 40 anos que fumam e bebem devem estar mais atentas e ter sua boca examinada por profissional de saúde (dentista ou médico) pelo menos uma vez ao ano.

Fonte: Pollyana Carvalho