Candidata diz que foi elminada do concurso do TJ-PI irregularmente

Ela alega que não foi chamada para ser ouvida sobre possível fraude

Uma mulher, identificada como Hellen Galeno, que concorria a um cargo de Analista Judicial e Oficial de Justiça, no concurso do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), informou que foi eliminada do certame pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com a justificativa de ter fraudado o concurso, mas, segundo ela, nunca foi ouvida, nem chamada pela Polícia Civil para prestar qualquer tipo de esclarecimente.

Hellen Galeno, fez um post em seu facebook onde se disse surpresa e revoltada quando descobriu sobre sua eliminação. "A justificativa da eliminação é o subitem 15.26, ter fraudado o concurso. A surpresa com tamanha injustiça e arbitrariedade foi imensa. Nunca fui sequer intimada pra prestar algum esclarecimento e fui eliminada, arbitrariamente, sem ter qualquer envolvimento e provas contra minha pessoa", postou ela.

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, o desembargador Raimundo Eufrásio Filho informou na última quarta-feira (30), durante entrevista coletiva, que não vai anular o concurso do TJ-PI. Ele declarou, na ocasião, que o inquérito policial resultou em sete volumes e nele não há nenhum elemento para anular o concurso, porque todos os envolvidos foram, de uma forma ou de outra, identificados e não serão beneficiados com isso. Segundo o prsidente foram eliminados 50 candidatos envolvidos na tentativa de fraude.

A Ordem dos Advogados do Brasil, secção Piauí, (OAB-PI), a provou na quinta-feira (31) uma comissão especial para analisar a legalidade do concurso do TJ-PI.

Os advogados terão quinze dias, após o recebimento, para analisar o inquérito da Polícia Civil e apresentar um relatório ao Conselho Seccional para que a OAB-PI tome seu posicionamento diante do fato.




Postagem feita por Hellen Galeno no Facebook
Postagem feita por Hellen Galeno no Facebook
Postagem feita por Hellen Galeno no Facebook
Postagem feita por Hellen Galeno no Facebook



Fonte: Portal MN