Candidato a vestibular é preso com ponto eletrônico

Segundo polícia, vendedor teria cobrado R$ 15 mil para passar respostas

Um jovem foi preso, neste domingo (28), depois de ter sido flagrado com um ponto eletrônico durante o vestibular do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam), na região do Alto Paranaíba, em Minas Gerais. De acordo com a Polícia Civil, policiais disfarçados de fiscais e alunos abordaram vários estudantes. A denúncia de que alguns candidatos poderiam tentar fraudar a avaliação veio da instituição de ensino.

Segundo o delegado Luís Mauro Sampaio, o suspeito tem 20 anos e tentava uma vaga no curso de Medicina. Ele estuda para passar no vestibular há três anos e teria decidido buscar na internet por alguém que lhe desse respostas para a prova. Em um site, um homem anunciava a venda de pontos eletrônicos, de acordo com o delegado.

O vendedor exigiu que o jovem enviasse a confirmação de inscrição e outros dados. O pagamento seria feito após a confirmação da aprovação na prova, segundo a polícia. O suspeito cobrou R$ 15 mil pelo aparelho e as respostas. O jovem foi solto e vai responder ao processo em liberdade.

De acordo com a assessoria da Unipam, esse é o quarto vestibular para o curso de Medicina e o número de candidatos cresceu em relação ao ano anterior. Em 2009, a relação era de 11,65 candidatos por vaga. Em 2010, aumentou para 20,08, segundo o centro universitário.

Uma funcionária da Unipam se passou por uma candidata e após pesquisas no Google encontrou internautas que anunciavam a venda dos aparelhos eletrônicos, de acordo com a assessoria da universidade. Ela entrou em contato com ele e descobriu como era feito o procedimento. A instituição acionou a Polícia Civil três dias antes da avaliação para evitar as fraudes.

Os policiais iniciaram uma investigação em busca de candidatos que poderiam ter requisitado o serviço. Segundo o delegado, uma jovem admitiu ter entrado em contato com um vendedor por MSN. Mas ela não chegou a adquirir o produto. O comerciante cobrou R$ 30 mil por um ponto eletrônico. A candidata que veio de Rondônia usaria o aparelho de transmissão para o vestibular da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

A Polícia Civil de Patos de Minas vai prosseguir com as investigações para descobrir outros candidatos que podem ter fraudado o processo seletivo e chegar até os vendedores, segundo o delegado Luís Mauro Sampaio. De acordo com a Unipam, o vestibular não vai ser anulado. Caso seja descoberto que outro candidato fraudou a prova, ele não poderá estudar no centro universitário mesmo tendo feito matrícula.

O Centro Universitário informou que a partir do próximo ano vai instituir procedimentos de segurança mais avançados para evitar novas fraudes.

Fonte: g1, www.g1.com.br