Caravana do MP vai atender pedidos da população no PI

Ministério Público do Piauí sairá em caravana por todo o Piauí, a partir do final deste mês

O Ministério Público do Piauí sairá em caravana por todo o Piauí, a partir do final deste mês, ministrando palestras e minicursos com o objetivo de fortalecer os mecanismos de controle social, como em relação à gestão dos recursos públicos, por exemplo.

A Caravana do Ministério Público é resultado do Plano de Contingência formulado pela administração superior do MP-PI para atender às reivindicações populares que tomaram as ruas, recentemente. A instituição deseja agilizar o processo de transformação social, dando prioridade às principais necessidades da população.

A promotora que está à frente do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), Lia Burgos, explica que essa ação é uma resposta aos anseios da população que ficaram bem claros durante as manifestações nas ruas de Teresina no mês de junho.

?Nós vimos que eles lutavam por melhorias na Saúde, Eucação, Seguranaça Pública, Transporte, mas sempre como fundo o combate à corrupção e essa ação vai fortalecer os conselhos sociais, que atua justamente nesse combate à corrupção?, disse a promotora, durante o lançamento da caravana, na Procuradoria-Geral de Justiça, na última sexta-feira (13).

A primeira Caravana está marcada para o dia 23 de setembro. As equipes do Ministério Público visitarão a região dos municípios de Corrente, Bom Jesus e São Raimundo Nonato. As caravanas estão organizadas conforme as microrregiões, relacionadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e contemplarão todo o Estado.

Em Bom Jesus, a caravana chegará no dia 25 de setembro, onde realizará palestras e minicursos. O promotor de Justiça da comarca da cidade, Carlos Rogério, afirma que a população ficou contente com a iniciativa do MP e está ansiosa para participar desse movimento.

?Essa é uma iniciativa muito boa. Nós que estamos no interior sentimos a necessidade desse tipo de atividades na cidade, pois alguns benefícios não chegam nessas cidades mais distantes da capital?, disse.

Fonte: Vicente de Paula