Carecas são mortos no Moçambique por crença que cabeças tem ouro

Dois foram encontrados mortos com a cabeça cortada

A polícia de Moçambique divulgou um aviso informando que carecas podem ser alvos de ataques ritualísticos, depois da morte de dois homens cujos membros foram usados em bruxaria.

Os dois carecas encontrados mortos com a cabeça cortada e órgãos removidos foram assassinados devido uma supertição do país. Segundo o representante da policial nacional, InacioDina, a comunidade local "acha que carecas são ricos".

Os assassinatos ocorreram em Mligange, no centro do país africano, a poucos quilômetros da borda com o Malawi.


Segundo a polícia local, as vítimas tinham pouco mais de 40 anos e os suspeitos eram dois moçambicanos de mais ou menos 20 anos.

Segundo relatos dos suspeitos, os órgãos seriam usados por curandeiros para promover a sorte de clientes na Tanzânia e Malawi.

É a primeira vez que carecas são vítimas desse tipo deataque na região, disse Miguel Caetano, representante das forças de segurançana província central de Zambézia.

“A crença é que a cabeça de um homem careca contém ouro”, disse Afonso Dias, comandante da polícia na Zambézia.

Em Maputo, capital do país, a polícia local relacionou os ataques aos ataques contra albinos, cujos órgãos também eram usados em rituaisde bruxaria.

De acordo com a ONU, mais de 100 ataques contra albinos foram registrados em Moçambique desde 2014, sempre no centro e norte do país


Fonte: r7