Carros caem em crateras e enxurrada arrasta caçamba e leva asfalto em MS

São 9 buracos no trecho de 1 quilômetro de avenida de Campo Grande. Ninguém da prefeitura da capital de MS foi encontrado.

A chuva da noite dessa quarta-feira (24), em Campo Grande, causou diversos estragos no município. Árvores caíram e, na avenida Tamandaré, Jardim Seminário, região Noroeste da capital de Mato Grosso do Sul, o asfalto cedeu, crateras foram abertas, sendo nove buracos ao todo, no trecho de um quilômetro, em duas delas houve queda de veículos, e no bairro vizinho, o Água Bonita Park, a enxurrada arrastou uma caçamba e levou o asfalto.

Tentando contato com a assessoria de imprensa da prefeitura municipal, não se obteve exito até o fechamento desta matéria. A Defesa Civil informou à TV Morena que um representante da Secretaria Municipal de Infraestrutura deve ir ao local fazer uma avaliação.

Clique e curta a página do Portal Meio Norte no facebook.


 A funcionária pública Patrícia Silva, de 32 anos, viu quando uma caminhonete caiu um em um dos buracos. "Era por volta das 23h (de MS) e estava chovendo. Eu vi o carro em um buraco e depois vi quando a caminhonete caiu, o asfalto cedendo", conta.

Ela e a família dormiram na casa de parentes para não voltar para casa à noite e correr o risco de acontecer algum acidente. "Eu preferi ficar na casa da minha mãe e voltar hoje cedo", fala o marido de Patrícia, Carlos Antônio Gonçalves Valério, administrador de empresas.

O mototaxista Renato Pereira de Oliveira foi quem sinalizou um dos buracos antes da chegada da Guarda Municipal e da Agência Municipal de Trânsito (Agetran). Ele também viu os carros nas crateras. "O pessoal estava desesperado". A faixa da direita no trecho onde estão os buracos foi interditada.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, um ocupante de um dos veículos reclamou de dores na perna direita e foi levado para atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Coronel Antonino.

Bem perto da Tamandaré, no Água Bonita Park, a enxurrada na rua 5 de setembro arrastou cerca de 50 metros de pavimentação. O trecho ficou só com a terra batida e as cascas de asfalto se acumularam no cruzamento com outra via.

Uma caçamba foi arrastada cerca de 30 metros e parou no meio da via, com muita sujeira. "Ano passado teve uma chuva forte, mas não com tanta intensidade. Dessa vez veio mais forte e levou tudo", resume o administrador hoteleiro Ronaldo Oliveira, que mora na rua 5 de setembro. "Agora a gente tem que ficar mais alerta. Vamos ver na próxima vez o que vai acontecer".

Fonte: G1