Audi A3 Sedan 1.4 TFSI tem o desempenho de 2.0 e consumo de 1.0

Ainda mais se esse modelo pertencer a uma marca premium e for tabelado acima dos R$ 100 mil.

Cada vez mais presente no universo automotivo de mercados mais exigentes, a tendência de downsizing (diminuição) de motores com o intuito de favorecer a economia de combustível e reduzir as emissões de poluentes ainda gera certa polêmica no Brasil. Muita gente, por desconhecer o potencial dessas novas tecnologias, ainda torce o nariz quando ouve falar que um carro de porte médio pode ter bom desempenho com um motor de baixa cilindrada sob o capô. Ainda mais se esse modelo pertencer a uma marca premium e for tabelado acima dos R$ 100 mil.

Vendido no Brasil desde o primeiro semestre do ano passado e com a produção nacional programada para 2016 (por ora é importado da Hungria), em São José dos Pinhais (PR), o Audi A3 Sedan equipado com o bloco de 1.4 litro TFSI comprova que nos dias atuais não devemos julgar um carro pelo tamanho e nem pela potência de seu motor.

Movido apenas a gasolina, o propulsor de 122 cv do sedã gera a mesma potência do motor de 1.6 litro de um Citroën C3 abastecido com etanol, por exemplo. No entanto, o torque máximo de 20,4 kgfm – superior ao da maioria dos motores 2.0 aspirados – é entregue de maneira linear entre 1.400 e 4 mil rpm. O conjunto motriz é complementado pela excelente caixa automatizada S Tronic de sete marchas e dupla embreagem.

Para atingir números tão significativos no que diz respeito ao desempenho e consumo, o motor todo de alumínio do A3 Sedan combina um cabeçote com comando variável na abertura das válvulas de admissão, injeção direta de combustível e um pequeno turbo. Embora seja da mesma família (EA211), a configuração é diferente da utilizada no motor do Volkswagen Golf (no hatch são 140 cv de potência e 25,5 kgfm de torque).

Segundo a Audi, o A3 Sedan 1.4 TFSI acelera de 0 a 100 km/h em 9,4 segundos e atinge velocidade máxima de 212 km/h (confira na tabela mais abaixo os dados de consumo e aceleração aferidos pelo tradicional Teste Carsale-Mauá, realizado pela equipe de engenheiros do Instituto Mauá de Tecnologia).

Por fora, o A3 Sedan 1.4 TFSI é praticamente idêntico às versões com motor 1.8 TFSI de 180 cv. As diferenças mais notórias são as rodas de liga leve de aro 16 (nas configurações mais potentes o conjunto é de 17 polegadas) e a ausência dos faróis de neblina. Mesmo assim, o sedã não deixa de chamar a atenção por onde passa graças ao conjunto óptico com luzes diurnas em LED, que emolduram a característica grade frontal dos modelos da marca das quatro argolas. Na traseira, cujo caimento do teto lembra as linhas de um cupê, o destaque fica para as belas lanternas horizontais também com iluminação em LED.

Do lado de dentro, o acabamento é mais simples que o das versões equipadas com o motor 1.8 turbo. Os bancos são revestidos de tecido, não há apliques em fibra de carbono nas portas e nem no painel. Há apenas uma discreta peça de alumínio no console central. A qualidade dos materiais e da montagem, no entanto, seguem o bom padrão de qualidade da Audi.

Opcionais comprometem o custo-benefício

Desde a versão de entrada (a partir de R$ 97.990), o A3 Sedan já sai de fábrica equipado com ar-condicionado analógico, bancos dianteiros e volante com regulagens de altura e profundidade, sete airbags (frontais, laterais, cortina e para o joelho do motorista), freios com ABS (anti-travamento) e EBD (distribuição eletrônica de frenagem), controles de estabilidade e tração, sistema start-stop, sensor de chuva, faróis bi-xenônio com acendimento automático e direção elétrica. O sistema de áudio, entretanto, não dispõe de Bluetooth e demais conexões (USB, SD, iPod).

Já a versão testada, a Attraction (R$ 106.990), acrescenta volante multifuncional com borboletas para a troca de marchas, sistema de áudio com as conexões ausentes na versão mais barata e subwoofer na tampa traseira, além de permitir o acesso à lista de opcionais oferecida pela Audi. O carro cedido para a avaliação contava com o teto solar Open Sky (R$ 5.500), sistema multimídia MMI com GPS (R$ 10.500) e o Pacote Conforto (R$ 8.500), que adiciona bancos de couro, sensor de estacionamento traseiro e controle de cruzeiro, totalizando salgados R$ 131.490. Vale lembrar que desde o começo do mês a Audi tem anunciado a versão Attraction por R$ 99.990. Segundo o site da marca, esse preço estará disponível até o próximo dia 12 de março ou quando o estoque das unidades de ano/modelo 2014/2015 for totalmente vendido.

Desempenho de 2.0 com consumo de 1.0

Apesar da lista de itens de série um pouco modesta e dos opcionais de preços elevados, o A3 Sedan cativa mesmo é ao volante. A posição de dirigir é facilmente encontrada, embora os ajustes do banco sejam todos manuais, e a localização dos instrumentos é rapidamente “decorada” pelo motorista – está aí a vantagem de um interior minimalista, com poucos botões. A ergonomia do sedã é irretocável. Após dar a partida, colocar o câmbio na posição Drive e desativar o freio de estacionamento elétrico, a sensação inicial é de estar no comando de um carro com motor 2.0. As arrancadas são espertas e o sedã de 1.215 quilos mostra boa agilidade no trânsito urbano. A suspensão tem acerto mais durinho, como em todos os Audis, e o rodar é confortável devido o conjunto de rodas de 16 polegadas calçadas em pneus de perfil mais alto.

Durante a convivência com o carro, o Carsale aproveitou para testá-lo em uma viagem de aproximadamente 500 quilômetros (ida e volta), partindo de São Paulo (SP) até cidades do litoral norte paulista. No geral, é possível dizer que o A3 Sedan 1.4 TFSI dá motivos de sobra para torcer pela popularização do downsizing entre os sedãs médios. Rodando a maior parte do trajeto em rodovias bem conservadas, o modelo deslancha sem dificuldades e mostra que tem fôlego para manter velocidades de cruzeiro bem acima do limite legal de 120 km/h tamanha a desenvoltura do pequeno propulsor de 1.4 litro turbinado. Nos trechos de serra, o sistema de suspensão atua de maneira eficiente, permitindo pouca inclinação da carroceria e transmitindo segurança ao condutor. Nas subidas mais íngremes, o A3 Sedan deixava praticamente todos os demais carros para trás graças ao torque de 20,4 kgfm disponível logo a 1.400 rpm. O entrosamento do propulsor com a transmissão S Tronic também favorece o bom desempenho ao reduzir marchas de maneira rápida e sem trancos ao sair de curvas ou retomar velocidade durante uma ultrapassagem.

Rodando a velocidades entre 110 km/h e 120 km/h (duas pessoas, um cachorro, porta-malas carregado, ar-condicionado ligado, mas sem acelerações bruscas), o A3 Sedan chegou a registrar médias de consumo superiores a 18 km/l. Em trechos urbanos sem congestionamentos, o computador de bordo mostrava médias na casa dos 12 km/l.






Fonte: Uol