Chevrolet confirma Cruze com motor turbo e mais econômico

Argentina será responsável por fabricar esta nova geração do Cruze

Nesta terça-feira (3), a filial brasileira da Chevrolet confirmou que o a nova geração do Cruze chega ao país no segundo semestre e com motor turbo, para consumir como "compacto popular".

Já na Argentina, a imprensa especializada se dirige a Bariloche para a apresentação do modelo, que acontece nesta terça, quarta e quinta, ainda sem ver o carro, nem receber muita informação oficial.

Detalhe: a Argentina será responsável por fabricar esta nova geração do Cruze. De lá, o carro será importado ao Brasil, onde estreia próximo ao Salão do Automóvel de São Paulo, que ocorre em novembro.

Novo Cruze ganha emblema "Turbo" e régua cromada (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze ganha emblema "Turbo" e régua cromada (Crédito: Divulgação)


CONSUMO DE CARRO POPULAR

Segundo a Chevrolet do Brasil, o novo Cruze terá "o inédito motor Ecotec Turbo com injeção direta de combustível e sistema Start/Stop" e promete consumo "similar ao de compactos populares".

Uma foto do emblema traseiro com a inscrição Turbo ao lado do nome do carro dá aval às informações, já conhecidas. No entanto, a empresa não falou muito sobre conteúdo. Nota-se, porém, uma régua cromada na tampa no porta-malas, inexistente no modelo americano, o que indica "nacionalização" do estilo.

De acordo com a imprensa do país vizinho -- como Auto Test, Auto Plus e Argentina Autoblog --, o novo Cruze (chamado de Cruze II por lá) será fabricado inicialmente apenas na configuração sedã (o hatch, só em 2017) na unidade de Santa Fe, que recebeu investimento de 750 milhões de pesos (cerca de R$ 190 milhões).

Ainda segundo as publicações argentinas, deve haver quatro versões de acabamento, duas opções de câmbio (manual e automático de seis marchas) e apenas uma motorização: o 1.4 Ecotec Turbo de 150 cavalos (5.600 rpm) e 24,5 kgfm (a 2.000 giros), que bebe apenas gasolina. Este motor substitui todas as opções da geração atual na Argentina (1.8 aspirado e 2.0 turbodiesel). Deve ser, também, o único motor para o carro brasileiro.

O QUE MAIS?

Completam o pacote de versões mais caras na Argentina itens como: controle de estabilidade e tração, seis airbags, ganchos Isofix para cadeirinhas, sensor de pressão de pneus, alerta de ponto cego, alerta de colisão frontal, além de auxílio de estacionamento (em vagas paralelas e perpendiculares).

Haverá ainda o sistema MyLink 2 (interação com smatphones) e OnStar (rastreamento e serviços personalizados para o condutor). Fica a expectativa para o pacote nacional. Voltando ao anúncio para o Brasil, a empresa afirma que o modelo terá arquitetura mais moderna e conjunto tecnológico refinado, com "configuração exclusiva" no país.



Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Novo Cruze (Crédito: Divulgação)
Fonte: Uol