Cartaz em posto revolta os pacientes: "Criança que chorar ficará por último"

Há um ano, papel foi afixado na porta que dá acesso à odontopediatria

Pais ficaram revoltados ao ler o conteúdo de um cartaz afixado na porta que dá acesso à odontopediatria de um posto de saúde de Rio Verde, no sudoeste goiano. No papel, estava escrito: ?Crianças que choram serão atendidas por último?. Para a professora Elisângela Guedes, a situação reflete o descaso com a população: ?Você vem procurar um auxílio para o seu filho e encontra um cartaz deste. Até onde nós vamos com o descaso com o ser humano??.


Cartaz em posto revolta pacientes:

O texto original do cartaz ainda estava com erro de português, pois a palavra ?último? estava escrita no plural. Apesar de o posto de saúde atender cerca de 250 crianças por mês, o cartaz, que está no local a cerca de um ano, só causou indignação após a denúncia de uma mãe, neste mês.

Após a reclamação dos pais, a direção da unidade de saúde retirou o papel. Segundo a coordenadora do posto de saúde, Ana Socorro Gonçalves, o cartaz foi confeccionado por uma dentista que atendia no local. ?Ela só orientou os pais para eles compreenderem. Porque se não, as outras crianças que ficam quietinhas não iam querer entrar no consultório depois de ouvir tanto barulho e choro lá dentro?, afirmou.

A Secretaria de Saúde de Rio Verde investiga o caso. De acordo com o superintendente de saúde bucal do município, João Bosco Campos, a situação é inadmissível. ?A gente vai passar isso para o jurídico para ver se cabe penalização. Ela é uma pessoa que é concursada e tem sua penalização como funcionária pública. É inadmissível se por isso na porta de um consultório público porque o cirurgião-dentista não põe isso na porta do seu consultório particular?, ressalta Campos.

Fonte: G1