Casal atingido por bomba caseira corre risco de morte

Polícia Civil tem três suspeitos, mas até o momento ninguém foi preso.

O estado de saúde do casal vítima de um atentado no último fim de semana em Anápolis, a 55 km de Goiânia, continua grave. Eles estão internados no Hospital de Queimaduras da cidade e, segundo o diretor da unidade, correm risco de morte. No domingo (6), os namorados foram atingidos por uma bomba jogada dentro do carro onde eles estavam.


Casal atingido por bomba caseira corre risco de morte

?A notícia que temos que dar não é muito feliz, no ponto de vista ao risco de morte. Em virtude do acidente ter acontecido em local fechado, dentro do carro, ambos respiraram aquele ar muito quente e eles têm uma lesão inalatória. Ou seja, eles respiraram o ar em uma temperatura muito elevada e isso veio a lesar em algum grau suas vias aéreas?, explicou o diretor do Hospital de Queimaduras, Leonardo Cunha.

Três pessoas são suspeitas de participar do atentado. No entanto, ninguém foi preso porque a polícia informou que ainda não tem provas concretas que possam levá-los à prisão.

?Para requisitarmos uma prisão preventiva ou uma prisão temporária são necessários alguns elementos que ainda não se encontram demonstrados nos autos. É por isso que a Polícia Civil está trabalhando, ouvindo outras testemunhas, trazendo novas provas aos autos para que haja elementos suficientes para pedir uma prisão preventiva ou temporária?, explicou o delegado Eder Ferreira Martins.

Marley Almeida, tia de Guilherme, esteve hoje no hospital. Ela estava na Espanha há nove anos e veio às pressas para o Brasil para visitar o sobrinho.

?Na hora que eu entrei, fiquei um pouco impactada porque está bastante lesionado. Bastante queimadura no rosto. Eu esperava ver ele grave porque me falaram que era grave, mas eu não pensava que estava tão grave. Ele está respirando com a ajuda de aparelhos e está com o corpo todo enfaixado, o rosto enfaixado. Está falando pouca coisa porque os aparelhos não deixam falar e porque está com a boca toda queimada também?, relatou.

Imagens

Imagens feitas pela prefeitura mostram o momento em que um ciclista joga a bomba dentro do veículo, na Avenida Barão do Rio Branco, no Centro de Anápolis. O motociclista que está logo atrás também é suspeito. Agora, a polícia procura por outras imagens de circuito de câmeras da rua onde aconteceu o crime na intenção de que alguma tenha gravado o rosto da dupla. O delegado tem 30 dias para concluir o inquérito.

A caixa onde estava a bomba foi encontrada na rua e o carro ficou praticamente todo queimado. No banco, só ficaram os pregos que estavam dentro da bomba.

Thays e Guilherme se conhecem há mais de cinco anos. De acordo com familiares, em uma das brigas do casal, ela conheceu um dos suspeitos de ter praticado o crime, que seria o ex-namorado, mas, segundo parentes, Thays havia se encontrado com ele apenas uma vez.

Um cinegrafista amador flagrou o momento em que Thays e Guilherme aguardavam no meio da rua pelo atendimento do Corpo de Bombeiros. Os dois tiveram quase 50% do corpo queimados. Eles continuam internados em estado grave com queimaduras de 3º grau.

Fonte: G1