Casal lança roupas para bebês sem gênero com algodão orgânico

Além disso, a marca tem como pilar a produção justa.

Macacões azuis para os meninos e roupinhas rosa para as meninas? Nada disso. Na Matiz, empresa brasileira criada por um casal de Porto Alegre, os produtos para bebês são cheios de cores, mas elas não são usadas para fazer distinção entre os gêneros. E a produção das peças foi pensada para realmente valorizar quem as produz.

A cor rosa, por exemplo, não é utilizada. Pedro Benites e Lívia Dall’Agnol, o casal por trás da Matiz, contaram ao Projeto Draft que acreditam em “educar para as diferenças, e não para a semelhança. Isso depois contribui com igualdade de gênero, o fim do machismo, diminuição da violência e valorização profissional das mulheres”.

Além disso, a marca tem como pilar a produção justa. Por isso eles fizeram questão de conhecer a cadeia produtiva de suas criações: quem torna os desenhos realidade são as participantes da Univens (Unidas Venceremos), uma cooperativa só de mulheres que trabalha com algodão orgânico.

Segundo os dois, o mercado infantil tem muitas peças feitas em longas cadeias de produção, que acarretam em má qualidade dos produtos e péssimas condições para os trabalhadores. O discurso é acompanhado na prática: o casal vende cerca de 130 peças por mês em sua loja virtual, e espera crescer de forma planejada, sem abandonas seus conceitos: “Preferimos ter um faturamento menor, beneficiando muitos no caminho. Não acreditamos em muito dinheiro na mão de poucos”, dizem.

Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero  (Crédito: Reprodução)
Roupas sem gênero (Crédito: Reprodução)


Fonte: Hypeness