Casal perde 11 parantes em acidente com ônibus em Santa Catarina

O velório coletivo foi realizado no Ginásio de Esportes Benedito Albino, em União da Vitória.


Um casal de União da Vitória, na região sul do Paraná, perdeu 11 pessoas da família no acidente com um ônibus na Serra Dona Francisca, no norte de Santa Catarina. “Do meu lado, foram três pessoas. Do meu marido, mais oito”, explica Lúcia Lemos da Silva. Ao todo, morreram 51 pessoas na tragédia. Até a manhã desta terça-feira (17), seis vítimas continuam internadas.

“É muito triste, uma coisa que não tem o que falar”, diz. O ônibus em que o grupo viajava caiu em uma ribanceira no quilômetro 89 da SC-418, em Joinville, no fim da tarde de sábado (14). Eles saíram de União da Vitória na sexta-feira (13) e atravessavam Santa Catarina para ir até um evento religioso em Guaratuba, no litoral do Paraná. Um sobrevivente relatou que o ônibus perdeu o freio.

O marido de Lúcia, Adelmar Ferreira de Lima, conta ainda que mais duas pessoas da família tiveram que ficar internadas. “Tivemos a boa notícia de que um já teve alta. A outra vai fazer mais uma cirurgia, mas, graças a Deus, a gente vai superar”, afirma. Em outra família, morreram avó, filha e neta. “A gente fica em choque, né? Ainda não caiu a ficha”, afirma Marizete Lima, parente das vítimas.

Dona de empresa lamenta

Uma das donas da empresa responsável pelo ônibus acidentado, a Costa & Mar Turismo, desabafou na página da companhia em uma rede social nesta terça-feira. Na publicação, feita com o perfil da companhia, ela disse que está sem vontade de prosseguir após a morte do esposo, do filho e das outras 49 vítimas.

A proprietária ainda reclamou que "ninguém respeita as dores de ninguém" e que "a cada dia que passa, estão crucificando mais a empresa".

Viagem não autorizada

Na segunda-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou uma nota afirmando que a empresa Costa & Mar Turismo não tinha autorização para fazer uma viagem interestadual.

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná explicou que o motorista tinha apenas uma autorização do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) para viajar até Guaratuba, no litoral do Paraná, com determinado ônibus.

No entanto, de acordo com Francischini, a viagem foi feita com outro veículo e passou por outro estado. Para percorrer Santa Catarina, o condutor precisava de uma autorização da ANTT. “Além do mais, o pedido era para 31 pessoas; havia mais de 60 no ônibus. Vamos abrir um inquérito para garantir as indenizações para as vítimas”, afirmou o secretário.

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, o grupo saiu de União da Vitória com dois ônibus menores. Porém, no caminho, um dos veículos apresentou problemas mecânicos. Como não foi possível solucionar, um ônibus maior foi chamado e juntou os passageiros dos dois veículos.A Polícia Civil de Joinville, em Santa Catarina, também investiga o caso.

Velórios e enterros

Os corpos das vítimas do acidente foram enterrados na segunda-feira (16). A maioria deles, 40, foi sepultada em cemitérios de União da Vitória e em Porto União, município de Santa Catarina que faz divisa com a cidade paranaense.

O restante dos corpos foi sepultado em outros locais do Paraná. As vítimas começaram a ser veladas assim que os corpos chegaram de Joinville na noite de domingo (15). O velório coletivo foi realizado no Ginásio de Esportes Benedito Albino, em União da Vitória.

Entretanto, houve famílias que optaram por velar seus parentes em casa, em igrejas dos bairros e até em outras cidades, como Carambeí e Mallet, na região dos Campos Gerais.


 

Fonte: G1