Casal tira foto minutos antes de cair em uma cachoeira e modelo morrer

Casal tira foto minutos antes de cair em uma cachoeira e modelo morrer

Modelo Bruna Vergínia tinha 23 anos e despencou cerca de oito metros.

A jovem que morreu ao cair de uma cachoeira, na Costa da Lagoa, em Florianópolis, será enterrada no início da tarde desta segunda-feira (20). Bruna Vergínia e o namorado, Matheus Mandelli, que está internado, fizeram uma foto no local do acidente momentos antes de caírem. A imagem foi postada por ele em sua página em uma rede social.

Na foto, o casal de namorados aparece sentado no topo da cachoeira, que tem cerca de oito metros de altura. A jovem teria escorregado e, ao tentar salvar a namorada, Matheus Mandelli também caiu. Bruna Vergínia, de 23 anos, era modelo e estudante de zootecnia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Matheus, de 29 anos, é DJ.

Eles despencaram de cima da queda d"água e pararam em cima das pedras que ficam na base da cachoeira na tarde de domingo (19). Bruna sofreu fratura nos dois punhos, traumatismo cranioencefálico e parada cardiorrespiratória. ?Ela teve uma fratura bem grande no rosto. A parada pode ter sido ocasionada por entupimento das vias respiratórias?, destaca com o capitão do Helicóptero Arcanjo do Corpo de Bombeiros, major Diogo Bahia Losso.

Ela chegou a ser levada pelo Helicóptero Águia da Polícia Militar até o Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, mas não resistiu aos ferimentos. O namorado sofreu fratura nos dois punhos, traumatismo cranioencefálico, fratura exposta no fêmur esquerdo e uma fratura no pé esquerdo. Quando ele foi atendido estava consciente e foi encaminhado para o Hospital Regional de São José, onde continuava internado até a manhã desta segunda-feira (20).

O corpo de Bruna está sendo velado na Capela Mortuária do Hospital São Francisco e o sepultamento está marcado para as 14h, em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis.

Área perigosa

Esta não foi a primeira ocorrência grave atendida pelos bombeiros no local. Losso explica que a área onde ocorreu o acidente parece segura, mas apresenta riscos escondidos. ?Parece ser inofensiva, não é muito alta, mas embaixo dela, não forma uma piscina natural. O azar deles é que eles escorregaram e caíram em cima de pedra. Este é o problema que a torna tão fatal?, explica.

Para alertar do problema, a área possui faixas zebradas e há placa indicando que a região é de risco. O topo da cachoeira possui pedras escorregadias que ficam embaixo da água. ?Ali forma um limo, não aquele verde. As pessoas olham e a pedra está molhada, e o fato de estar molhada a deixa escura e a torna extremamente lisa. As pessoas não enxergam o perigo?, ressalta.

Cuidados

O Corpo de Bombeiros alerta para cuidados que devem ser tomados ao frequentar este tipo de ambiente. A primeira é não se aproximar das bordas da cachoeira. Depois, antes de chegar à queda d"água é necessário tomar cuidado para não escorregar nas pedras. ?O caminho geralmente é muito liso e pode cair, bater a cabeça. Além disso, bebida alcoólica não combina com água, especialmente nestes ambientes, porque a percepção fica afetada?, diz Losso.

O major também orienta tomar cuidado com as chamadas trombas d´água. São fenômenos comuns nestes ambientes, segundo ele. Elas são formadas por cheias repentinas em áreas acima das cachoeiras e acabam surpreendendo os banhistas.

Fonte: G1