Fotógrafo que se diz agredido pelo segurança de Sasha entra de licença

Profissional, que diz ter sido agredido por seguranças de Sasha durante um jogo no Minas Tênis Clube, passa por exames para avaliar possível lesão

O repórter fotográfico que diz ter sido agredido por dois seguranças de Sasha vai ficar dez dias afastado do trabalho para se recuperar do incidente. O funcionário do Estado de Minas afirma sentir muita dor e espera o resultado de um exame que apontará se ele tem alguma lesão grave na coluna. Gladyston Rodrigues teria sofrido agressões físicas após se negar a apagar de sua máquina as fotos que havia tirado da jogadora de 15 anos, que faz parte da equipe de vôlei infanto-juvenil do Flamengo, durante um torneio de vôlei no Minas Tênis Clube, na última quinta-feira. As informações são do jornal Estado de Minas.

Ainda segundo o veículo, o caso foi parar na Justiça. O delegado que cuida do caso remeteu o inquérito sobre o incidente para o Juizado Criminal Especial. Uma audiência foi marcada para o dia 6 de setembro para ouvir as duas partes envolvidas na confusão.

Nesta sexta-feira, o repórter fotográfico fez exame de corpo de delito e uma ressonância magnética para saber se sofreu alguma lesão mais grave.

- Fiquei no Instituto Médico Legal até 1h desta sexta-feira, fazendo exame de corpo de delito. O médico pediu que eu fizesse uma ressonância magnética, que vai apontar se há ou não fratura na coluna torácica. Estou sentindo muita dor - contou o fotógrafo ao jornal Estado de Minas.

Gladyston também comentou o caso em sua página no Facebook. Além de agredecer o carinho e o apoio da família, amigos e do jornal, o repórter fotográfico ressaltou que a agressão que diz ter sofrido não pode passar em branco.

- Não podemos deixar que fatos como esse se repitam e passem impune! Agradeço de coração a todos! - comentou.

Flamengo garante não ter contrato algum com Sasha

O Flamengo se eximiu de qualquer responsabilidade no episódio. O clube negou a hipótese levantada de que teria firmado um contrato que garantiria a preservação da imagem da filha de Xuxa. Em nota oficial enviada pela assessoria de imprensa, o Rubro-Negro diz que: "A posição do clube em relação ao incidente ocorrido é a de que não existe vínculo contratual ou financeiro algum entre a Sasha e o Flamengo. Esse vínculo é apenas federativo. Em relação ao segurança que supostamente teria agredido um jornalista, ele não é funcionário do clube".

A confusão ocorreu na última quinta-feira, durante um torneio infanto-juvenil de vôlei feminino, que está sendo disputado na sede do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. De acordo com o Estado de Minas, os seguranças teriam afirmado que Gladyston Rodrigues não tinha autorização para fotografar a jogadora. Ainda segundo o jornal, o Flamengo alegou a existência de um contrato firmado com o staff da filha de Xuxa, que proíbe a exposição da menina. O clube nega que o setor de comunicação do Fla tenha passado essa informação.


Caso Sasha: com dor na coluna, fotógrafo é afastado por dez dias

Caso Sasha: com dor na coluna, fotógrafo é afastado por dez dias

Fonte: GloboEsporte