Caso Xuxa e aprovação de lei sobre pedofilia provocam crise na atleta Joanna Maranhão

Caso Xuxa e aprovação de lei sobre pedofilia provocam crise na atleta Joanna Maranhão

Em fevereiro de 2008 Joanna Maranhão reuniu coragem para revelar em uma entrevista que havia sido abusada por um ex-treinador

Classificada para a Olimpíada de Londres, a nadadora Joanna Maranhão viveu horas intensas desde a última sexta-feira, quando uma lei que leva o seu nome foi aprovada, alterando o tratamento da Justiça a crimes sexuais contra menores de idade. Combinada com a explosiva entrevista da apresentadora Xuxa Meneghel ao Fantástico no domingo, com revelações sobre o mesmo tema, a notícia acabou impactando sobre a atleta do Flamengo.

Em fevereiro de 2008 Joanna Maranhão reuniu coragem para revelar em uma entrevista que havia sido abusada por um ex-treinador. A declaração acabou marcando uma retomada em sua carreira, com bons momentos nos últimos anos.

De acordo com o Flamengo, Joanna Maranhão passou por uma crise nervosa na última terça-feira em razão da lei e da repercussão do caso Xuxa, com o assédio que ambos os casos suscitaram em torno de seu nome. Assim, por recomendação médica, a atleta passará a evitar depoimentos públicos, informa o clube carioca.

A divisão de esportes olímpicos do clube do Rio de Janeiro diz que a atleta pernambucana trabalha com o foco nos Jogos de Londres, em que está classificada em três provas, e que evitará distrações a respeito da associação de seu nome à lei.

Na última sexta-feira, a lei federal que leva o nome da nadadora foi aprovada em Brasília, trazendo como novidades a alteração nas regras sobre a prescrição do crime de pedofilia e também estupro e atentado violento ao pudor praticados contra crianças e adolescentes.

A partir da Lei 12.650, a contagem de tempo para prescrição dos crimes sexuais contra menores de idade começa na data em que a vítima completar 18 anos, caso o Ministério Público não tenha aberto ação penal contra o agressor anteriormente [até então a prescrição era calculada a partir da acusação].

Domingo passado Xuxa relatou em entrevista que sofreu abusos sexuais de diferentes agressores até os 13 anos. As revelações da famosa apresentadora da Globo causaram repercussões em todo país e não passaram incólumes pela rotina de Joanna Maranhão.

A nadadora recebeu inúmeros telefonemas, de imprensa e amigos. Apesar do recolhimento público, a pernambucana usou sua conta no Twitter nos últimos dias para se manifestar a respeito do caso e sobre o assédio que ele gerou em sua vida.

"Infelizes essas pessoas que acham graça do depoimento da Xuxa ontem; não fazem do quão doloroso é por tudo aquilo pra fora", escreveu a atleta.

"Ontem o dia foi de stress e eu pensei em ligar e pedir pra mainha vir ficar comigo, telefone não parava de tocar depois da entrevista de Xuxa", acrescentou.

"Dia difícil que chegou ao fim e eu sobrevivi, porque a vida é muito linda pra não ser vivida ao extremo!", escreveu na noite de terça.

SENADOR QUER JOANNA E XUXA PARA ASSINATURA DE LEI

Em nota divulgada na última segunda-feira em seu website pessoal, o senador Magno Malta (PR-ES) manifestou o desejo de contar com Joanna Maranhão e Xuxa para o ato de assinatura da sanção da nova lei aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional, de autoria da CPI da Pedofilia, presidida pelo próprio político.

Magno Malta afirmou que pretende solicitar à presidente Dilma Rousseff um convite formal, tanto para a nadadora olímpica do Brasil como para a apresentadora da TV Globo.

Joanna Maranhão está classificada para a disputa dos 200 m e 400 m medley, além dos 200 m borboleta. Em sua terceira Olimpíada, a nadadora de 25 anos irá a Londres em seu melhor momento técnico. Suas maiores chances residem nos 400 m medley, prova em que foi finalista nos Jogos de Atenas em 2004.

Fonte: UOL