Casos de solidão e depressão crescem durante fim de ano

Casos de solidão e depressão crescem durante fim de ano

Segundo Eyder Mendes, coordenador do CVV em Teresina, o número de atendimentos no centro de apoio aumenta bastante nesta época do ano.

Final de Ano. Natal, réveillon, família, amigos... Festa! A maioria das pessoas procura neste período estar rodeado de entes queridos, comemorando e brindando os últimos dias do ano. Mas, é justamente

nesta época que muita gente se sente solitária. A falta de alguém para dividir esses momentos faz

crescer a procura por serviços de apoio emocional, como os desempenhados peloCentro de Valorização da Vida (CVV).

Segundo Eyder Mendes, coordenador do CVV em Teresina, o número de atendimentos no centro de apoio aumenta bastante nesta época do ano. ?O final de ano, com as festas de Natal e ano novo, é um período em que muitas pessoas se sentem mais sós, pois nessa época o foco é a convivência em família e muitas pessoas, infelizmente, veem-se solitárias, sem ter com quem dividir as alegrias dessas festividades?, comenta.

Na análise de especialistas, no período de fim de ano, marcado por sucessivas comemorações, os problemas envolvendo pessoas solitárias se agravam consideravelmente. Para o psicólogo, Dênis Carvalho, a ideia de festejo presente nessas datas pode acirrar o sentimento de solidão em algumas

pessoas. ?Nesta época de Natal e final de ano, quando estão muito presentes a ideia de festa, de comemoração, algumas pessoas podem despertar sentimentos como isolamento, solidão e tristeza. No entanto, em pessoas predispostas, esses sentimentos podem evoluir para níveis patológicos e se transformarem em depressão?, pontua.

Ainda de acordo com o psicólogo, o advento de novas tecnologias e das redes sociais ajuda a aproximar as pessoas neste período. ?Hoje em dia as pessoas usam muito a internet para trocar informações e sentirem mais próximas uma das outras. Quase todo mundo tem um celular, e-mail ou perfil em redes sociais. Isso pode ajudar a amenizar a solidão?, completa.

Fonte: Jadson Osório