Casos de virose crescem cerca de 40% em Teresina

De acordo com a Fundação Municipal de Saúde, o aumento no número de casos causa surpresa

O caderno Theresina, do Jornal Meio Norte desta sexta-feira (15) destaca que o período chuvoso é o responsável comum pelo aumento dos casos de virose, síndrome que costuma acometer jovens, adultos e idosos. Segundo estatísticas da Fundação Municipal de Saúde (FMS), os casos de virose em Teresina aumentaram 40% este ano em relação ao mesmo período de 2012. A notícia é recebida com surpresa, tendo em vista a pouca quantidade de chuvas ocorridas em 2013.

O surto da doença é explicado pelo alto índice de contágio. Na época de chuvas o aumento das moscas é o principal vetor de propagação da doença, enquanto no período seco, o acúmulo de lixo, esgotos e galerias a céu aberto são os responsáveis pelo contágio. A virose pode ser transmitida por um simples aperto de mão ou por contato com fezes do enfermo.

Popularmente conhecida como virose, a gastroenterite aguda é caracterizada por ciclos de diarreias e vômitos, podendo ocorrer febre, dores no corpo e náuseas.

O ciclo do vírus no corpo humano pode durar de quatro dias a uma semana e não existe tratamento específico para a doença, apenas remédios que aliviam os sintomas.

A doença nada mais é que uma inflamação do trato intestinal que afeta o estômago e o intestino delgado. Embora não tenha relação alguma com a gripe, é facilmente confundida pela população como tal, visto que os sintomas são semelhantes.

A maior parte dos casos é causada pelo rotavirus e o tratamento mais adequado é a hidratação. Nos casos mais graves é necessário fazer a administração de soro por via intravenosa.

CONFIRA MATÉRIA COMPLETA NO JORNAL MEIO NORTE

Fonte: Francisco Lima e Olegário Borges