Cemitérios têm movimentação bem abaixo da expectativa no Dia dos Pais

Cemitérios têm movimentação bem abaixo da expectativa no Dia dos Pais

O Dia dos Pais foi marcado pelas homenagens dos filhos cujos pais já faleceram. Os visitantes encontraram os cemitérios limpos e puderam prestar as homenagens com calma, pois o fluxo de pessoas no local estava abaixo do esperado.

Em um dos cemitérios mais conhecidos de Teresina, o São Judas Tadeu, zona Leste, os visitantes fizeram uma homenagem coletiva aos pais falecidos em uma pequena cerimônia religiosa na capela dentro no cemitério, onde rezaram e cantaram cânticos religiosos.

A professora Conceição Araújo há 15 anos vai ao cemitério prestar homenagens ao pai e conta que nunca deixou de ir visitá-lo no Dia dos Pais. “Sempre venho ver meu pai, principalmente nessa data de hoje e Dia dos Finados. Acho importante vir homenagear aqueles que já foram, ainda mais sendo um ente tão querido como o pai”, conta.

A senhora ainda diz estar decepcionada com os jovens atualmente, pois não vê nenhum deles indo visitar nem o pai ou parente já falecido. “É uma pena que a juventude não dê valor a essas pessoas que estão aqui. Hoje só vemos pessoas com mais de 40 anos visitando seus pais, acho que eles estão perdendo os valores”, enfatiza.

Aproveitando o movimento nos cemitérios, alguns ambulantes vendem flores e caixas de velas e segundo eles o Dia dos Pais é o menos lembrado entre as datas em que há visitação de parentes falecidos. 

A vendedora Tatiane Dias vende flores há anos na porta do cemitério São Judas Tadeu, e diz que apesar do movimento não ser grande, consegue vender bem o seu produto. 

“No Dia dos Pais aqui é mais tranquilo. Só conseguimos vender bem porque não tem concorrência. Os outros vendedores vêm mais no Dia de Finados e Dia das Mães. Mas os visitantes sempre compram flores para homenagear os seus parentes”, conta.

Para o vendedor de velas Antônio Nilton Vieira, o Dia dos Pais está sendo cada vez mais esquecido pelos filhos com pais já falecidos. “Eu estou aqui neste mesmo ponto desde 1982 e vejo que o movimento no Dia dos Pais não é mais tão frequentado como antes. Lembro que vinha uma multidão, hoje, o movimento está muito menor e geralmente só pessoas mais velhas vêm aqui”, relata.

Famílias comemoram o Dia dos Pais no parque 

Muitas famílias aproveitaram o domingo do Dia dos Pais para passear com os filhos nos parques e praças da cidade. O local preferido foi o Parque Potycabana, onde puderam brincar, praticar esportes e fazer piquenique.

O dia foi apropriado para a estudante de Direito Ana Regina Martins levar a filha com poucas semanas de nascida para passear com os avós e conta que deu o presente do Dia dos Pais adiantado. 

"Nós viemos trazer a minha filha para tomar sol, meus pais vieram comigo e estamos passeando. Ainda hoje vamos ter um almoço em família e já entreguei o presente do meu pai ontem, no sábado," conta.

O dia foi de festa para oito famílias de um grupo de uma igreja protestante de Teresina. Para comemorar o Dia dos Pais eles fizeram um piquenique e se divertiram fazendo brincadeiras entre pais e filhos. A ação é incentivada pela igreja onde Everdam Martins é pastor. 

"Nossa igreja incentiva momentos como este, onde o amor e carinho dos filhos com os pais são incentivados. Queremos que os laços entre eles fiquem cada vez mais fortes, pois as crianças vão lembrar desses bons momentos para o resto da vida. A nossa área infantil sempre promove encontros como este como no Dia das Mães e das Crianças", explica o pastor.

Outras famílias comemoram o dia de uma forma bem diferente, o empresário Francisco Bandeira e a sua esposa Marta Santos levaram o filho Arthur, que completou um ano, para ter um momento de diversão no Dia dos Pais. Eles fizeram um piquenique, onde o filho pode "destruir" o bolo de aniversário.

"Nós viemos comemorar o aniversário do Arthur e o Dia dos Pais, como na festinha de aniversário, ele não aproveitou do jeito que queria, fizemos um outro bolo, trouxemos para cá, montamos um piquenique e ele pode fazer o que quis com o bolo", revela o pai, rindo do filho lambuzado de glacê.

Fonte: Rhauan Macedo