Ceramistas iniciam vendas para o fim de ano no Poti Velho

Ceramistas iniciam vendas para o fim de ano no Poti Velho

Ceramistas iniciam vendas para o fim de ano no Poti Velho

Muitos artesãos do Polo Cerâmico do Poti Velho, localizado na zona Norte de Teresina, já se preparam para as festas de final de ano com a fabricação de itens bastante encontrados na decoração das casas neste período.

Produtos como mandalas, luminárias e, claro, os presépios, são encontrados em muitos boxes espalhados pelo Polo. Mas devido à grande procura, em alguns locais as peças estão em falta e esperam uma nova remessa de produção.

Aline Alves, por exemplo, é proprietária de um dos boxes e comenta que já recebeu muitas encomendas para as mandalas e presépios e já vendeu muitas luminárias.

“A procura já está bem grande, hoje estamos até sem estoque de presépios. E a tendência é da produção aumentar, quando chegar mais perto do final do ano, em novembro e dezembro, tem mais saída ainda”, diz Aline acrescentando que as mandalas custam, em média, 38 reais, e o conjunto de luminárias, 120 reais. O preço dos presépios só pode ser afirmado quando finalizam, sendo que varia de acordo com o seu tamanho: P, M ou G.

Roberto Kennedy é outro ceramista que está confiante nas vendas de peças para o fim de ano. Neste começo de procura, ele afirma que está focando nas peças individuais que fazem parte do presépio, como por exemplo, os anjos em forma de luminária, inclusive, ele diz que todos os personagens são neste formato e apenas quando estiver mais perto de dezembro é que ele se dedicará à produção dos presépios completos.

“Além dos presépios, saem muitas luminárias, andalas e decorações natalinas como as estrelas, os sinos e bolas.

Os presépios custam R$ 800, R$ 1.000 ou R$ 1.500. As mandalas são de R$ 55, R$ 45 e R$ 35. Já as luminárias são de R$ 55 até R$ 115”, acrescenta Roberto. O ceramista ainda diz que muitos clientes não estão mais deixando as compras para a última hora devido aos altos preços.

“Quanto mais perto de dezembro, mais as peças ficam caras, então já tem muita gente vindo comprar para guardar até lá. Outros procuram vir em janeiro e em fevereiro para levar as peças que não foram vendidas por um preço bem menor”, conclui.

Estes, assim como demais artesãos, apostam neste período tão movimentado para o comércio de forma geral. Muitas pessoas ainda preferem decorar a casa com o artesanal em vez do sofisticado e no Polo Cerâmico do Poti Velho é possível encontrar opção para todos os gostos, bem produzidas e com preços que cabem no bolso. Pela beleza das peças e esforços dos ceramistas, o valor atribuído aos produtos é mais em conta do que peças mais sofisticadas.

Filtros de barro também têm grande saída

Os filtros de barro, atualmente, estão voltando a ser procurados por muita gente que deseja decorar a cozinha ou mesmo pelos benefícios da água filtrada.

Pelo que Aline Alves observa, as vendas dos filtros que ela comercializa têm sido voltadas não como item para decoração, mas para uso doméstico.

"Geralmente, as pessoas que vem comprar não são fãs dos filtros elétricos. Elas gostam de comprar o filtro simples, pela eficiência de retirar as impurezas.

Vendemos tanto que até os dos estoques já saíram tudo", comenta. Aline também observa que os clientes gostam do artesanal para utilizá-los no dia a dia, já os coloridos são para a decoração da casa. Os filtros vendidos pela artesã custam entre 40 e 80 reais.

E há quem opta por focar as vendas de filtros para outros estados e cidades do interior do Piauí. Como é o caso do pai de Francisco Oliveira, mais conhecido por Carlinhos. Segundo Francisco, as encomendas do pai são bem procuradas pelas famílias tradicionais do interior.

"Quase toda a semana ele viaja para fornecer filtros nas cidades que procuram por ele", diz. Uma unidade dos filtros vendidos por Carlinhos custa R$ 25 com duas velas. Com três, R$ 35 e com quatro velas, R$ 60. Por quantidade varia com preços menores, entre 18 a 20 reais.

Fonte: Flávia Araújo