Cerca de 800 policiais farão segurança na edição 2015 do Corso de Teresina

Todas as modalidades da Polícia Militar (rone, canil, helicópteros, policiamento a pé e de motocicleta) farão a segurança dos foliões. O policiamento ostensivo nas outras áreas da capital não sofrerá

Cerca de 800 policiais militares farão segurança na edição deste ano no Corso de Teresina. A informação foi dada na manhã de ontem (23), durante uma reunião, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Piauí, onde foi discutido todo o esquema de segurança a ser implantado.

De acordo com o tenente-coronel Sá Júnior, membro do Comando de Policiamento da Capital, o momento é de traçar os objetivos do que se quer da Operação Corso 2015, considerando os planos de segurança dos anos anteriores.

“A previsão é de que um efetivo de 800 policiais seja distribuído em toda a Avenida Raul Lopes e faça a segurança do evento, acompanhados de seguranças civis, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros”, destaca o coronel ao frisar que o trabalho se inicia às 7h e se encerra às 3h da madrugada do dia seguinte.

Todas as modalidades da Polícia Militar (rone, canil, helicópteros, policiamento a pé e de motocicleta) farão a segurança dos foliões. O policiamento ostensivo nas outras áreas da capital não sofrerá mudanças.

“Se houver necessidade de trazer essas viaturas, vamos fazer isso, mas como estamos nos planejando de forma antecipada, acreditamos que essa necessidade não vai existir”, acrescenta Sá Júnior.

Em toda a extensão da Avenida Raul Lopes, a Polícia Militar terá 20 elevados, de onde poderá visualizar os foliões, além de um posto de comando na Ponte Estaiada e outros serão distribuídos no corredor da folia. Além disso, a Polícia Civil disponibilizará delegacias móveis, onde o cidadão poderá registrar o boletim de ocorrência.

Além desta reunião, outras duas ainda devem ser realizadas antes do dia da festa. Para o presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Lázaro do Piauí, quanto maior a segurança, melhor para o folião.

“Por isso estamos definindo todos os detalhes de segurança do evento, porque o caminhão é importante, assim como o folião, mas o mais importante ainda é a segurança”, coloca.

Na reunião estiveram presentes representantes das instituições da Polícia Militar, Polícia Civil, STRANS, Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Teresina, Fundação Monsenhor Chaves, SDU-Centro / Norte, SDU-Leste, SDU-Sul, Polícia Rodoviária Federal e SAMU.

Evento pode ter corredor exclusivo para caminhões

Na reunião, também foi discutida a possibilidade da criação de dois corredores de barreira física, em uma extensão de um quilômetro e meio, para que o caminhão passe sem que existam pessoas na frente deles.

O presidente da Fundação, Lázaro do Piauí, afirma que as pessoas reclamam que gastam muito dinheiro com a decoração do caminhão e ninguém vê, porque o caminhão fica parado.

Porém, o diretor de Operação e Fiscalização da Superintendência Municipal Transportes Trânsito (Strans), coronel Jaime Oliveira, acredita que a medida não poderá ser tomada. "Olhamos as imagens do ano passado, foram cerca de 250 a 300 mil pessoas.

Se colocarmos mil homens, eles não conseguirão segurar 250 mil pessoas, ainda mais pelo estilo da festa, que envolve folia, bebida alcoólica", explica o coronel ao completar que deve ser isolada apenas a margem do rio, cumprindo a solicitação do Iphan e da Secretaria de Meio Ambiente.

"Se for feito uma outra ala de isolamento, fica por conta e risco da comissão organizadora, porque é muito temerário fazer isso", acrescenta.

Na proposta apresentada pelo coronel Jaime Oliveira, a Avenida Duque de Caxias, que foi um dos problemas da edição do ano passado, terá o sentido norte-sul liberado.

Quem vier desta avenida poderá entrar na Petrônio Portela, só não poderá fazer o cruzamento, terá que descer, visto que toda Avenida Marechal Castelo Branco estará liberada no sentido norte-sul. "Ela ficará bloqueada com os containers no sentido sul-norte.

A ponte que dá acesso à Universidade Federal do Piauí também será dividida com barreiras físicas. Estacas de um metro e meio dividirão a pista, sendo uma voltada apenas para o cidadão que deseja circular rumo ao norte da cidade. A outra faixa ficará disponível para os caminhões.

As pontes da Frei Serafim e Estaiada estarão totalmente liberadas. A ponte Estaiada vai funcionar como rota de fuga para as ambulâncias, que ficarão posicionadas em três postos na Avenida Raul Lopes.

"Caso seja necessários, os foliões atendidos serão levados para o hospital Universitário e Hospital da Primavera, por isso a Estaiada vai funcionar como rota de fuga", completa Jaime de Oliveira ao finalizar que todas as mudanças no trânsito serão avisadas com antecedência na mídia e ainda através de faixas, que serão expostas nas proximidades das avenidas e das pontes.

Clique aqui e curta o Meionorte.com no Facebook

Fonte: Aline Damasceno