Meruoca: Familias podem ser indenizadas em R$ 650 mil

Meruoca: Familias podem ser indenizadas em R$ 650 mil

O processo, no entanto, está parado. "O Estado questiona apenas os valores", diz procurador geral

Hoje, dia 16 de janeiro, completa 14 anos da chacina da Meruoca, na zona rural de Teresina, quando três empresários e um motorista que cassavam na mata foram confundidos com bandidos, e assassinados por policiais. As famílias das vítimas ainda brigam na justiça por uma reparação, que até agora não chegou.

Dos quatro policiais militares e um civil que participaram da chacina, apenas o policial civil foi expulso. Os PMs continuam trabalhando na polícia, e um deles chegou até a ser promovido, e hoje trabalha na formação de novos soldados.

O processo condenou o Estado a indenizar as famílias das vítimas, mas o dinheiro ainda não chegou. ?O Estado reconhece o débito com as famílias, questiona apenas os valores?, disse o procurador geral do estado, Kildere Rone. Os valores estão na faixa de R$ 250 mil por danos materiais, mais R$ 400 mil por danos morais, para cada família.

?O Estado não questiona, mas emperra o processo?, disse ao meionorte.com Rodrigo Cronemberg, filho de uma das vítimas da chacina. Segundo dele, a decisão foi há um ano, mas foi embargada pelo Estado, e o processo está a um ano parado. ?É complicado uma família ter seu gestor retirado, e passaram-se 14 anos e nada foi feito. É complicado ver algum deles na rua?, desabafou Rodrigo.

O corregedor adjunto da Polícia Militar do Piauí, coronel Ricardo Lima, afirma que os responsáveis ainda correm o risco de serem penalizados e serem expulsos da polícia. ?O Estado está em débito com essas famílias?, disse coronel Ricardo. Rodrigo, entretanto, disse que o objetivo da luta não é mais expulsar os policiais. ?O que nós mais pedimos é só um andamento maior para o processo.

Fonte: Andrê Nascimento